A Diferença entre Regime de Caixa e Regime de Competência

  12 Comentários   Conceitos de Gestão  
Compartilhe com amigos:
regime de caixa vs regime de competencia

Uma das teorias mais importantes referente à gestão financeira diz respeito a ver o seu negócio através de duas perspectivas: o regime de caixa e o regime de competência. Vamos analisar cada método abaixo:

1) Regime de Caixa:

É analisar as movimentações financeiras da sua empresa pelo que entrou e saiu, independentemente se isso foi no período esperado ou não. Vamos dizer que você tinha que receber R$5.000,00 de um cliente durante 6 meses, mas ele atrasou tudo e só pagou no último mês. Neste caso, seu fluxo de caixa estaria igual à imagem abaixo:

exemplo de fluxo de caixa - regime de caixa

Ponto Positivo: A importância da visão do fluxo de caixa, que é justamente feito dentro do regime de caixa, é a visualização do dinheiro que a empresa realmente possui em caixa, como o nome já diz. Isso é importante para gerenciar a liquidez (capacidade de pagar seus compromissos) do negócio. Pois muitas vezes, a empresa está com uma boa projeção de futuro, mas no curto prazo se encontra em maus lençóis. Para isso, é necessário o cálculo do capital de giro, tópico de um próximo post.

Ponto Negativo: O problema da visão de caixa é que você não consegue aferir o real resultado operacional da empresa. No caso acima, por exemplo, se esse projeto for a única fonte de receita da empresa, ela ficaria no negativo por 5 meses e depois iria aparentar ter um resultado incrível no mês 6. O que pode acontecer também, é o caso oposto, o cliente ter pago tudo à vista, os gestores acharem que estão com muito caixa e gastar tudo sem visualizar que precisam desse dinheiro para viver por mais um semestre.

banner planilha de fluxo de caixa

2) Regime de Competência:

É analisar as movimentações financeiras da sua empresa de acordo com o período que elas deveriam ter sido concretizadas, independentemente de quando realmente o foram. Vamos utilizar o mesmo caso acima, o cliente deveria lhe pagar R$5.000,00 por mês, mas pagou tudo só no último mês. Neste caso, seu demonstrativo de resultado de exercício ficaria da seguinte maneira:

exemplo de demonstrativo de resultado - regime de competencia

Ponto Positivo: Com o regime de competência (DRE), você consegue visualizar se a estrutura financeira da sua empresa está correta e se o modelo de negócio vigente faz sentido, sem se deixar levar pelas flutuações de curso prazo.

Ponto Negativo: Como o demonstrativo de resultado de exercício não está preocupado com o que está ocorrendo de fato na empresa, você pode acabar ficando com pouco caixa e contrair dívidas desnecessárias. No caso acima, por exemplo, isso teria acontecido.

Conclusão:

Ambas as visões são necessárias e complementares na gestão financeira de um negócio. Os dados devem sempre ser analisado pelas duas perspectivas para se obter a melhor decisão possível para a situação da empresa. No mais, para se obter esse tipo de sistema de gestão é necessário o uso de algum software ou planilha para que os lançamento sejam registrados em ambas as óticas.

banner planilha de fluxo de caixa

Compartilhe com amigos:

Inscreva-se e receba o conteúdo semanal
que realmente importa

Experimente! É grátis e, se não gostar, basta cancelar o envio com 1 clique.
 

Deixe seu comentário aqui

  • Pingback: Início do Ano, o Período Ideal para Arrumar a Casa |Blog LUZ.vc()

  • Pingback: 5 Passos para Superação Financeira da sua Empresa -()

  • Pingback: Como usar uma Planilha de Custos -()

  • Marinhotp

    Bom dia a todos.

    Pessoal da LUZ, no item 1) Regime de caixa em pontos positivos, vocês colocaram “regime de competência”.

    Gosto das ferramentas de vocês.

    Abraços

    • Obrigado, Marinho! Acabamos de corrigir. 🙂

      Abraços!

  • Diego da Fonseca

    Gostei muito do artigo. Você usou uma linguagem muito clara e de fácil entendimento. Parabéns.

    • Rafael

      Obrigado Diego, se tiver ficado com alguma dúvida é só me falar por aqui mesmo, abraços

  • José Walter

    Parabéns pelo texto, didática excelente!

    Uma GRANDE dúvida que está me incomodando. No caso de projetos de investimento, em que os fluxos de caixa são previsões, devo utilizar o DRE para a montagem do fluxo de caixa?

    Muito obrigado e forte abraço.

    • Rafael

      Oi José, tudo bom?

      Obrigado pelo elogio, ficamos sempre felizes de ver o nosso conteúdo ajudando! Quanto a sua dúvida, no caso de projeções e projetos de investimento ou de estudo de viabilidade costumo utilizar um fluxo de caixa projetado que se assemelha bastante a um DRE simplificado

      Se quiser ver como fica, recomendo que baixe a versão demonstrativa da nossa planilha de Estudo de viabilidade econômica – https://luz.vc/planilhas-empresariais/planilha-de-estudo-de-viabilidade-economica

      • José Walter

        Beleza Rafael!
        Cara, muito obrigado pela prontidão em responder.
        Não sei se estou fazendo confusão, ou se realmente é muito complicado diferenciar a DRE do Fluxo de Caixa, em projetos de investimento.
        Muito obrigado pela ajuda.
        Sucesso e forte abraço.

  • Reinaldo Anício
    • Rafael

      Obrigado pela participação e dica Reinaldo

Buscar no Blog LUZ

Digite abaixo…

×
Receba a sua dose semanal de conhecimento grátis
×
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]