Dicas para montar uma boa equipe.

0
207
Dicas para Montar uma Boa Equipe

Um time de sucesso é composto por profissionais que detém habilidades técnicas e comportamentais alinhadas à estratégia da empresa. Então, o primeiro passo para montar uma boa equipe é conhecer quais características e habilidades são importantes para se atingir o objetivo esperado.

Pode parecer óbvio, mas muita gente ainda hoje define contratações com base na simpatia, boas indicações de amigos que não conhecem os desafios da área nem a estratégia da empresa, boa aparência, afinidades pessoais como veganismo, fãs da mesma banda e até porque torcem pelo mesmo time.

Conquistamos a longevidade. E agora?

Conhecemos pessoas de mesma formação que possuem características bem distintas: umas são falantes, extrovertidas, criativas, gregárias, outras preferem trabalhar em silêncio, mais solitárias; algumas têm facilidade em executar a parte documental, burocrática, enquanto outras preferem a ação. Esta pluralidade tem se mostrado benéfica em várias equipes. Como líder é importante saber com quais se identifica mais.

Conquistamos a longevidade. E agora?

O bom gestor entende que responder por uma área significa atender a diversas solicitações da alta gestão; ora o mais importante é ter criatividade, ora ter controle dos recursos econômicos, ora o ajuste dos processos será o foco de sua liderança. Para que sua equipe seja capaz de entregar demandas tão diversas, deve conseguir identificar quais pessoas em seu time poderão contribuir com cada tipo de demanda.

Conquistamos a longevidade. E agora?Por isso é importante ouvir cada membro da equipe com atenção; perceber onde se sentem mais confortáveis e motivados, se na criação, no controle, na execução. Também é importante “ler as pessoas” nas entrelinhas, naquilo que não foi dito, dedicando um tempo para refletir sobre suas posturas e atitudes com os colegas da própria área ou de outras áreas, bem como ante os desafios enfrentados. Acredite, ali existe muita informação sobre, de fato, quem é quem.

Conhecendo as habilidades necessárias e quais sua equipe detém, o passo seguinte será avaliar se existe alguma lacuna a ser preenchida e decidir como isso será feito: capacitando algum de seus membros, aumentando o time? Cada líder terá que resolver esta questão de acordo com o momento, não existe resposta certa, entretanto em tempos de crise é sempre mais difícil justificar o aumento do time.

Conquistamos a longevidade. E agora?

Mas atenção, as habilidades comportamentais podem ser aprimoradas, claro, mas dificilmente “são ensinadas” num movimento de fora para dentro. Quando um colaborador não conhece um software que terá que utilizar, normalmente basta algum treinamento e logo estará apto a usá-lo. Por outro lado, uma pessoa que não tem como característica o bom desempenho sob pressão, dificilmente no curto prazo, conseguirá modificar isso.

O gestor, além de identificar as peças chaves para sua equipe, deve ter bastante conhecimento do segmento em que está, sentir-se seguro e apto para enfrentar o desafio, além de ter autoconhecimento. Isso fará com que promova em seu time a harmonia, o equilíbrio e o ambiente mais adequado para atingir suas metas.

Imaturidade, insegurança, falta de percepção geral do mercado em que atua são fatores que dificultam, quando não impedem totalmente, que ali se estabeleça uma boa relação entre líder e liderados.

Empresa familiar, nepotismo e dicas para um outsiderOs lideres também são humanos, não se deve esquecer isso. Assim, é importante que ele conheça seus pontos fortes, quais os mais sensíveis; seja consciente de sua visão de futuro e da vontade de superar desafios; tudo isso o tornará mais qualificado.

Não é raro numa gestão ter que lidar com conflitos entre os pares, insatisfações ou momentâneas desmotivações. Portanto um gestor emocionalmente maduro tem condições de ajustar a equipe sem que haja impactos negativos ao projeto e suas metas.

E quando se herda uma equipe?

E como montar uma boa equipe a partir de uma equipe herdada de outro gestor? O melhor é se permitir um tempo para conhecer as pessoas, ouvi-las mas também ouvir o que se fala delas. Você escuta elogios de A, que já está há muito tempo na empresa. B não é elogiado mas você percebe o quanto é prestativo e interessado embora tecnicamente esteja muito aquém do que é preciso.

Muitos gestores recebem este tipo de herança.

Meu conselho é analisar os colaboradores, escutá-los, perceber os pontos fortes e avaliar se existe tempo hábil para recuperar seus pontos fracos. Certamente existem bons profissionais no grupo, talvez precisem apenas se adaptar a mudança da liderança. Existirão outros, entretanto, que já não caberão mais no projeto, porque ele agora tem uma nova cabeça. E tudo bem, faz parte!

Esteja consciente e confortável com suas atitudes, busque a oportunidade de transferir pessoas para outras áreas; às vezes a tarefa mais simples é simplesmente desligá-la, mas uma liderança responsável não deve apenas procurar o caminho mais fácil. O gestor é aquele que cuida de uma equipe.

Por fim, crie laços com seus liderados, a confiança e a empatia que desenvolverão serão as melhores bases deste novo grupo num novo projeto.

Siga em frente.

Boa sorte!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFeedback. Quando? Como? Pra quê?
Próximo artigoPreciso investir em uma página no Facebook?
Marcia Damasceno
Venho ao longo dos anos me reinventando, superando desafios e colaborando para o sucesso de alguns projetos, principalmente na área de serviços. Acredito que as oportunidades devem ser aproveitadas e que nos manter em movimento e em busca de conhecimento é um bom modo de viver. Com formação em Estatistica, Administração e Marketing, me identifiquei com o Blog e decidi compartilhar aqui um pouco das informações adquiridas nestas ultimas décadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome