Como conseguir gerir uma empresa de viagens em plena pandemia?

0
607
Planilhas Prontas em Excel

A pandemia de Covid-19 interrompeu a movimentação da indústria de viagens, mas como conseguir gerir uma empresa de viagens em plena pandemia? 

Embora manchetes recentes – como proibições de viagens e cancelamentos de grandes eventos – façam com que o progresso pareça uma coisa do passado distante, é importante lembrar que o setor era financeiramente saudável e gerava muito dinheiro antes da pandemia chegar. 

Apesar de muitos desafios, a história nos mostra que as viagens são uma das indústrias mais resilientes do mundo. 

Embora não saibamos exatamente quando as pessoas voltaram a viajar com frequência, podemos ter certeza de que elas vão fazer isso. 

As pessoas continuam consumindo, principalmente através da internet. Elas estão em busca de promoções, como cupom de desconto Kabum, por exemplo. Ou seja, o hábito de consumo poderá sofrer algumas mudanças, mas continuará a existir, principalmente quando se trata de viagens. 

A Covid-19 não tem um fim definitivo à vista e não existe um modelo econômico para prever por quanto tempo o vírus representará um risco. 

Mas existem algumas dicas importantes sobre como conseguir gerir uma empresa de viagens em plena pandemia. Continue a leitura para conferir! 

Dicas importantes para gerir empresa de viagens 

Como conseguir gerir uma empresa de viagens em plena pandemia? 1

Como as viagens e a hospitalidade poderão se manter e evoluir após a Covid-19? Aqui estão algumas dicas para empresas de viagens. 

1. Faça com que os clientes permaneçam na memória

Embora muitas agências de viagens estejam cortando orçamentos para economizar dinheiro, elas não podem esquecer que o marketing é mais importante do que nunca. 

As empresas de viagens são parte integrante de suas comunidades locais e devem continuar a encontrar maneiras de participar ativamente da resposta COVID-19. A Delta, por exemplo, está transportou voluntários médicos de graça. 

As marcas de viagens também podem aprender com as empresas que investiram e priorizaram o marketing durante as recessões anteriores. Os pesquisadores descobriram que as marcas podem acelerar sua recuperação pós-recessão, construindo valor de marca e reconhecimento durante a recessão. 

Portanto, se possível, faça a sua parte para contribuir com a ajuda durante este período. Além de fazer o bem, a sua empresa ainda conseguirá aproximar mais pessoas. 

2. Digitalize e agilize seu contact center

Enquanto os viajantes em todo o mundo estão mudando e cancelando suas viagens, os contact centers das empresas estão enfrentando picos de volume sem precedentes. 

As empresas podem reduzir os volumes do call center simplificando os pontos de contato digitais para tornar mais fácil para os clientes cancelar e refazer a reserva por meio dos canais digitais. 

As empresas líderes combinaram suas equipes digital e de call center, automatizando o uso de ferramentas de processamento de linguagem natural para analisar chamadas e otimizar as demandas dos clientes de maneira fluida em todos os canais.

As marcas de viagens devem usar essa desaceleração para agilizar as operações e diversificar seus negócios, reavaliando o atendimento ao cliente, demonstrando empatia, ganhando a confiança do consumidor e melhorando o estoque e os produtos para quando a demanda voltar. 

3. Reavalie seu cenário competitivo

Como conseguir gerir uma empresa de viagens em plena pandemia? 2

O impacto econômico da pandemia é inevitável. Muitas companhias aéreas regionais, hotéis de pequeno a médio porte e agências de viagens independentes enfrentarão dificuldades financeiras e até falência. 

A recuperação não será homogênea, já que diferentes partes do mundo lutam para controlar a propagação do vírus em diferentes prazos. As viagens domésticas provavelmente se recuperarão mais rapidamente do que as internacionais, e alguns países estarão abertos para negócios antes de outros.

Isso significa que as marcas precisam reavaliar como pode ser o cenário competitivo pós-recuperação. 

Embora seja difícil prever o cronograma, as empresas em posição de fazê-lo precisam tomar medidas agora para estarem prontas para ganhar participação de mercado, entrar em novos mercados e oferecer novos produtos. 

Por mais que a entrada em novos mercados exija a compreensão e a atração de novos clientes, há uma grande quantidade de dados que permite às empresas analisar o comportamento do cliente, identificar os clientes em potencial e procurar sinais para identificar quando as viagens estão voltando. 

Depois que esses mercados são identificados, as empresas podem otimizar sua tecnologia e processos de marketing para conseguir enviar as mensagens certas aos clientes certos no momento certo. 

Configurar a segmentação dinâmica e, em seguida, alinhar as ofertas e promoções certas ajudará as marcas a se recuperar mais rapidamente. 

É provável que o cenário competitivo em constante mudança torne mais necessário que as marcas invistam em canais digitais diretos ao cliente. 

As empresas de cruzeiros, por exemplo, terão a oportunidade de vender diretamente aos consumidores, já que muitas das pequenas agências de viagens com foco em cruzeiros podem não se recuperar. 

As reservas diretas de hospitalidade também tendem a se fortalecer, pois alguns viajantes hesitarão em reservar por meio de agências de viagens online ou se hospedar em propriedades do Airbnb enquanto buscam maior garantia de qualidade e flexibilidade em suas opções de nova reserva e cancelamento.

4. Trazer saúde e bem-estar para a frente por meio de tecnologias sem contato 

As práticas de saúde e bem-estar não serão mais agradáveis ​​em um mundo pós-coronavírus. Todos os viajantes esperam padrões mais elevados para garantir seu bem-estar, e as ferramentas digitais permitirão e expandirão as opções “sem toque” existentes.

Por exemplo, tecnologias que priorizam a mobilidade, como pagamentos sem contato, estão no mercado há alguns anos, com adoção limitada. 

No entanto, os comportamentos recentes sinalizam um pico na adoção, à medida que os clientes ficam mais confortáveis ​​com o comportamento e reconsideram com quem e com que eles entram em contato físico. 

Para viajantes e hóspedes, o uso do celular aumentará ao longo da viagem, desde passaportes e cartões de embarque, até entradas em hotéis sem chave e check-out digital em hotéis. 

Os hotéis também precisarão acelerar seus investimentos em tecnologias “sem toque”, como biometria, controles por gestos e automação, para personalizar as interações digitais e ao mesmo tempo permitir o distanciamento social. 

Um exemplo importante disso pode ser encontrado no aeroporto de Chengdu Shuangliu, na China, que tem quiosques que já usam reconhecimento facial para ajudar os viajantes a verificar o status do voo e encontrar o portão de embarque.  

Ao considerarmos as consequências econômicas combinadas com a explosão de novas tecnologias de 5G à inteligência artificial, estou animado para ver como as empresas respondem e evoluem e como a comunidade de startups emerge deste evento.

Conclusão

As dicas acima são algumas estratégias que podem ser implementadas agora mesmo para conseguir gerir uma empresa de viagens e aumentar as suas chances de passar por esse momento. 

A situação de pandemia está mudando o comportamento dos consumidores, mas isso não quer dizer que eles vão deixar de viajar, pelo contrário. 

Alguns ajustes serão necessários, como citamos no decorrer do artigo, mas é possível gerar uma empresa de viagens e fazer com que ela cresça no pós-pandemia. 

 

Planilhas Prontas em Excel

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome