Saiba como o marketing de conteúdo pode ajudar a impulsionar o seu site

0
269
marketing de conteúdo
Planilhas Prontas em Excel

Já não é segredo para ninguém da área como o marketing de conteúdo tem se tornado importante nos últimos anos. De fato, sua popularidade vem crescendo há décadas, mas quantas pessoas dominam realmente o assunto?

Também conhecido como content marketing (termo em inglês), na verdade essa modalidade existe há mais tempo do que se imagina. Ela já era praticada antes da internet, quando uma empresa despachava uma newsletter impressa para algum cliente.

Podia ser uma revista, um catálogo ou algo assim, com o intuito de fazer o cliente se engajar nos conteúdos daquela marca.

Realmente, esta continua sendo a essência de qualquer marketing de conteúdo, seja quando ele é voltado para grandes marcas multinacionais, ou para negócios locais como uma empresa de terceirização de limpeza SP.

Mas também é preciso reconhecer que a internet trouxe uma verdadeira revolução para esse tipo de marketing, especialmente após a disseminação dos grandes motores de busca, como o Google, o Bing e o Yahoo.

Certamente, essas plataformas já se tornaram uma das maiores vitrines do mundo. Portanto, qualquer marca que queira criar conteúdos originais e relevantes, com o intuito de gerar leads e oportunidades, precisará marcar presença neles.

Lembrando que as pesquisas são de todo tipo. Elas podem ir desde a procura por serviços indispensáveis e até urgentes como consultoria fiscal, passando pela busca de lugares onde comer, até trabalhos acadêmicos e escolares.

Por isso, decidimos escrever este artigo, trazendo alguns conceitos indispensáveis para compreensão do assunto, bem como dicas práticas que ninguém pode deixar de levar em conta caso queira crescer no curto, médio e longo prazo.

Então, se você quer fazer a diferença e mudar suas estratégias digitais de patamar, confirmando como o marketing de conteúdo pode impulsionar o seu site e o seu negócio, basta seguir adiante na leitura.

O que é o marketing de conteúdo?

Não é possível falar em content marketing sem mencionar as novas Gerações Y e Z, que são as pessoas nascidas dos anos 1980 e 2000 para cá, segundo um recorte sociológico que vem sendo cada vez mais estudado.

Como essas pessoas tiveram muito mais acesso à informática, à internet e à informação como um todo, elas são mais conectadas e exigentes do que as pessoas mais antigas.

Assim, quando elas vão pesquisar ou cotar algo sobre software para loja, elas não querem encontrar empresas que simplesmente utilizem um discurso comercial, explorando as supostas vantagens da marca e promoções com base em preços e prazos.

Tudo isso ainda existe e pode trazer bons resultados, porém cada vez mais o público quer “conversar” com a marca, que é justamente onde entram os conteúdos. 

Hoje uma empresa pode dispor dos seguintes materiais:

  • Blogs posts;
  • Posts de rede social;
  • Vídeos e vlogs;
  • Newsletters;
  • E-books e Infográficos;
  • Audiobooks;
  • Podcasts;
  • E-mail marketing;
  • Checklists;
  • Entre outros.

Um exemplo clássico são os artigos do tipo: “10 dicas sobre como fazer uma excelente avaliação de perfil comportamental”. É aí que o marketing de conteúdo entra, e que os visitantes mais se engajam.

Essa estratégia se chama “prospecção passiva”, e costuma ser bastante associada ao inbound marketing. O mais importante é que os conteúdos gerados sejam realmente originais (não adianta copiar o texto de outros portais).

Lembrando que eles também precisam ter relevância para o seu público-alvo, conforme todas as demais dicas que vamos dar adiante.

Por dentro do seu público-alvo

Do que foi dito acima, já é possível deduzir como é importante que o marketing de conteúdo seja feito com base no público-alvo de cada segmento ou nicho de mercado.

Afinal, como gerar conteúdo para um blog de fábrica de camisetas personalizadas sem levar em conta os interesses dos compradores desse tipo de solução? Aliás, o content marketing se trata, justamente, de pensar com a cabeça do futuro cliente.

Aí é que está um ponto que muita gente esquece de levar em conta, e por isso não consegue obter resultados realmente sólidos. Por mais que você entenda do seu produto, e mesmo do seu público, é preciso estudar sempre, e evoluir.

Por exemplo, hoje o conceito de público-alvo foi aprofundado, e deve se focar nos perfis da sua persona. Ou seja, você precisa criar dois ou três perfis semifictícios, e ir muito além de traços superficiais sobre seus leads.

Como definir os perfis da persona?

Se antes bastava responder perguntas gerais sobre seus leads, tais como a região onde ele mora, o seu poder aquisitivo, a idade e o gênero, hoje é preciso aprofundar.

Deste modo, as perguntas que podem ajudar nisso são as seguintes:

  • Onde meu cliente se encontra?
  • Como ele se veste e o que faz nas horas vagas?
  • Como ele consome notícias e novidades?
  • Quais lugares ele mais frequenta?
  • Quais redes sociais ele mais acessa?
  • O que ele adora que uma marca faça por ele?
  • O que ele odeia que aconteça na negociação?

Após criar esses dois ou três perfis, o indicado é dar nome a eles e chegar a utilizar fotos de pessoas reais.

Assim, sempre que uma empresa de uniformes ou qualquer outro negócio for criar campanhas e ações de marketing de conteúdo, vai ser com foco na persona, o que vai tornar o processo muito mais assertivo.

Também é aí que entram questões como linguagem a ser aplicada, se vai ser mais formal ou mais informal. Em alguns casos, como quando se trabalha com jovens, pode ser algo totalmente descolado, e daí em diante.

O poder da presença digital

Já vimos quais formatos a criação de materiais pode assumir, indo desde blog posts até podcasts e os demais conteúdos de multimídia que vemos hoje em dia.

Uma dica de ouro é levar em conta que, se não fazer o content marketing já é estar atrasado no mercado, também já se foi o tempo em que bastava ter um blog no ar.

Hoje é preciso marcar presença nas redes sociais e variar nos formatos praticados, bem como dominar os motores de busca, que citaremos adiante de novo.

Assim, alguns blogs já dispõem de ótimos artigos escritos (de maneira tradicional), e junto a opção em áudio, para a pessoa ouvir o conteúdo enquanto faz outras coisas.

Uma dica bacana é começar tudo pelo blog post. Depois, quando já tiver mais confiança, os mesmos artigos que foram bem podem se tornar base para outros formatos.

Isso vai desde um e-book, que traga os dez melhores posts do site, por exemplo, até posts na internet, que costumam ser bem menores e podem surgir de artigos publicados anteriormente.

Como manter a constância?

Outro ponto fundamental que muita gente deixa passar batido é a questão do processo, da administração do marketing de conteúdo e da disciplina necessária.

É verdade que gerar conteúdo é, na maioria das vezes, escrever sobre aquilo de que você mais gosta. Assim, um blog de serviço de portaria em condomínio vai ser desenvolvido e alimentado por alguém que conheça muito bem a área.

Contudo, engana-se quem pensa que isso equivale a “escrever quando dá vontade”. A realidade está longe de ser assim, pois seu público vai se acostumar a contar com seu conteúdo, e você vai precisar assumir um compromisso com eles.

A melhor maneira de fazer isso é estabelecendo uma agenda editorial, com definição de pautas que estejam adiantadas em semanas ou meses da data atual.

Isso de definir, em cima da hora, o que vai ser postado amanhã, é um péssimo caminho. Além de organização, a qualidade do conteúdo gerado melhora quando você trabalha com essa folga de tempo.

Deste modo, ao trabalhar com uma agenda editorial, é possível investir em:

  • Reuniões com a equipe;
  • Definição de pautas para o futuro;
  • Ajustes dos perfis da persona;
  • Pesquisas de mercado;
  • Testes de tipo A/B;
  • Revisão dos conteúdos;
  • Melhor estratégia de SEO;
  • Entre outras frentes.

Ou seja, o segredo da constância não está apenas em “escrever sempre”, mas em escrever com método, extraindo o melhor de cada membro da equipe, ou de si mesmo.

Bônus: SEO e considerações finais

Hoje seria impossível falar em marketing de conteúdo sem falar no SEO (Search Engine Optimization), que é a otimização para os motores de busca citados acima.

O que plataformas como o Google querem garantir é que apenas os melhores conteúdos sejam bem ranqueados. Então, para aparecer nas primeiras páginas, você precisa cumprir vários algoritmos preestabelecidos.

O mais bacana é que a essência deles é o que tratamos acima: materiais originais e relevantes para o público. Assim, quando você pesquisa por algo como encerramento de empresa, apenas os melhores conteúdos aparecem primeiro.

Com o tempo, além de ser original e relevante, você pode ir aparando arestas e atendendo cada vez mais parâmetros (há centenas deles), para começar a disputar com os melhores.

Tudo isso deixa claro que o importante do marketing de conteúdo é pensar não apenas no curto prazo, mas também no médio e longo prazo. Com as dicas que demos acima, você pode trabalhar tudo isso ao mesmo tempo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Planilhas Prontas em Excel

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome