Os quatro tipos de marketing

Existe mais de um tipo de marketing?

0
577
Os quatro tipos de marketing (parte 1)
Conceito de Marketing no Quadro Negro

A definição abaixo é utilizada pela AMA – American Marketing Association – para definir o conceito do que é marketing. Agora, quantos “marketing” existem? Sim, já existiram vários tipos de marketing e vamos ver cada um deles nesse post.

Marketing: atividadeS, processos e instituições que têm como função criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que tenham valor para os clientes, parceiros e sociedade de modo geral.

Resultado de imagem para marketing 1.0

Marketing 1.0

A revolução industrial trouxe consigo modernidades na área de equipamentos industriais, agora, era possível produzir em escala, para o público em massa, assim ganhando mercado e reduzindo custos, nisto não se encaixa as diversidades de produtos. Como a base era a padronização, entende-se que o público deveria consumir aquele produto que a empresa estava a oferecer, sem hesitação ou contrapartida daqueles que estavam ali para comprar. Com o advento da revolução industrial e o desenvolvimento de tecnologias de produção, inicia-se o marketing 1.0, ou seja, o marketing voltado para o produto.

marketing 1.0, o marketing voltado para o produto.

Foco

Segundo Kotler (2010), o marketing 1.0 era a centralização das ideias/forças em cima do produto, ou seja, o comprador não era o foco da organização, e sim o produto. Um dos melhores expoentes dessa época, levando se em consideração o fato de tratar-se da revolução industrial era Henry Ford com seu carro, o Modelo T.

Resultado de imagem para modelo t
Modelo T – Henry Ford

Lembra-se da forma que Ford tratava da venda do modelo, sendo que uma das frases mais memoráveis da história industrial proferida por este “O carro pode ser de qualquer cor, desde que seja preto”. A frase é uma citação de Ford que exemplifica primordialmente o que era o modelo de marketing 1.0, o foco extremo no produto não levava em consideração as vontades e/ou especificidades dos compradores, mas, a vontade da empresa.

Marketing 2.0

Com a era da informação, a base de informações faz com que as forças do marketing sejam voltadas para consumidor. No marketing 2.0, os consumidores estão repletos de informações acerca dos produtos, suas especificações, suas funcionalidades e, principalmente, seu valor. Munidos de informações, o consumidor vai diretamente ao produto, adquiri forças técnicas para realizar comparações entre as informações dos produtos, para assim escolher o melhor produto em relação as suas necessidades e preferencias.

Resultado de imagem para consumidor
O consumidor. ACIIT

Foco

Logo, o marketing 2.0, trabalhando com base no consumidor, cria uma área de abrangência para os profissionais do marketing, ou seja, o foco agora é criar formas para alcançar as mentes dos consumidores, entender as suas necessidades e entregar-lhes o produto que cumpra com as suas finalidades e consiga agradar o cliente.

Marketing 3.0

Com o marketing 3.0, as organizações vão trabalhar com os valores, não financeiros, mas, valores emocionais, valores pessoais. O objetivo base do marketing 3.0 é a criação de soluções para os problemas que as sociedades enfrentam e como isso pode ser feito por meio das organizações com seus produtos e/ou serviços. A partir deste momento, o marketing vai trabalhar com os consumidores sendo estes, seres humanos, com emoções, desejos, vontades, esperanças, sem perder as bases já apresentadas pelas fases do marketing 1.0 e 2.0.

“Em épocas de crise econômica global, o Marketing 3.0 adquire relevância ainda maior para a vida dos consumidores, na medida em que são afetados por rápidas mudanças e turbulências nas esferas social, econômica e ambiental.” (KOTLER, p. 17, 2012)

As mídias sociais são, em grande parte, responsáveis por essa capacidade de criação das pessoas e sua relação com a criação da fase 3.0 do marketing.  São as informações disponibilizadas pelos entes da sociedade, nestas mídias sociais, que traçam as formas de trabalho do marketing das organizações, analises de dados quanto as vontades, gostos, desejos, preferencias, opiniões sobre um produto ou serviço, todos os dados são relevantes e passivos de aproveitamento.

“As conexões entre amigos nos sites de networking social, como o Facebook e o MySpace, também podem ajudar as empresas a desenvolver insights sobre o mercado. Pesquisadores da IBM, Hewlett-Packard e Microsoft estão coletando dados das redes sociais para desenvolver perfis e elaborar melhores abordagens de comunicação para seus empregados e consumidores.” (KOTLER, p. 18, 2012)

Marketing 4.0

O marketing 4.0 trabalha para que as organizações se comuniquem com os clientes da melhor e, mais rápida forma possível. Os agentes desse mercado, estão conectados, podem e fazem pesquisas sobre aquilo que desejam, logo, sabem preço e vantagens muitas vezes mais rapidamente que o próprio mercado. O discurso é trabalhado entre os entes, em redes sociais, as marcas precisam se destacar para serem lembradas por estes novos consumidores, que por diversas vezes, apontam suas preferencias nas mídias sociais e isto interfere no modelo de negócios dessas organizações.

Com o desenvolvimento do mercado 4.0, a conectividade tornou-se a palavra chave. Muitas teorias até então utilizadas como bases para o desenvolvimento dos mercados acabaram sendo alteradas.

Foco

Os novos meios de interação, smartphones, tablets, os wearables, dentre outras tecnologias aproximam os consumidores das informações sobre os produtos e serviços desejados. Agora, ao desejar algo, o consumidor pesquisa especificações técnicas, pergunta em grupos e fóruns em redes sociais e, não menos importante, pesquisa as potencialidades do produto/serviço em relação ao seu preço.

Wearables: é a denominação para “tecnologias vestíveis”, como smartwatchs dentre outros.  Cambridge Dictionary

Kotler, P., & Keller, K. L. (2006). Administração de marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

VIAAMERICAN MARKETING ASSOCIATION. Definition of Marketing. Chicago. Disponível em: . Acesso em: 30/05/2018.
COMPARTILHAR
Artigo anteriorOrçamento? Tem umas dicas aqui, aproveita!
Próximo artigoReuniões no café da manhã rendem mais?
Igor Queiroz
Durante meu estágio como assistente administrativo do hospital Santa Casa de Paranavaí alcancei o reconhecimento, da AMIB e Epimed Solutions, pelos dados levantados e analisados, colaborando assim para o recebimento do certificado de qualidade na gestão de informações da Epimed Solutions. Como estagiário na Jober Distribuidora tive a oportunidade de reestruturar o sistema de vendas online da organização por meio da criação de uma identidade visual inovadora, por meio de novos sistemas de vendas em redes sociais e a criação da divulgação da imagem da organização, junto com os seus produtos, nas mais diferentes plataformas. E com base na experiência adquirida e na análise do mercado, criei a minha empresa, a Cover Marketing Digital, que atende na área de divulgação e desenvolvimento online das pequenas empresas por meio de sistemas inovadores e, principalmente, por um preço justo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome