5 grandes empreendedores nas novelas das 8

12
1943
5 grandes empreendedores nas novelas das 8

Empreendedorismo também é pauta de novela… como não? Repare só como a nossa teledramaturgia (considerada a melhor do mundo) está repleta de exemplos de empresários e executivos bem sucedidos. Contudo, há uma particularidade (grave) que aproxima quase todas essas personagens. Você descobrirá agora qual é.

Para ilustrar, relembremos as fichas técnicas dos 5 maiores empreendedores das novelas de Gilberto Braga.

1. Marco Aurélio Catanhede (Reginaldo Faria – Vale Tudo – 1988)

Genro de Odete Roitman e vice-presidente do grupo de aviação TCA. Traía sua esposa Leila com Maria de Fátima, o que motivou o assassinato por engano de Odete. Homofóbico, reprimia muito o filho Tiago que ouvia música clássica com o amigo, achando que o menino fosse gay. Deu muitos golpes pela TCA, cometeu irregularidades diversas, roubou a própria empresa e terminou fugindo do Rio de Janeiro para não ser preso. E o quão emblemática não foi a cena em que se despede da cidade, partindo em seu jatinho e mandando uma “banana” para o Cristo Redentor?

Empreendedores em Novelas - Reginaldo Faria
“Aqui, ó!”

2. Felipe Barreto (Antônio Fagundes – O Dono do Mundo – 1991)

Cirurgião plástico de extremo sucesso, casado por interesse com Stella, sua esposa rica. Apostou uma caixa de champagne com um amigo, dizendo que tiraria a virgindade de uma menina suburbana, noiva de um funcionário de sua clínica. Era refém das chantagens da também empreendedora Olga Portela (Fernanda Montenegro), uma sofisticadíssima e bem sucedida cafetina. Bela novela.

Empreendedores em novelas - Antonio Fagundes
“…uma caixa de champagne”

3. Renato Mendes (Fábio Assunção – Celebridade – 2003)

Executivo extremamente eficaz, era o editor chefe da “Revista Fama”. Um verdadeiro intraempreendedor, trabalhava demais e queria muito ser presidente do Grupo Lineu. Chantagista e agressivo, usava muito o bordão “Eu não te pago pra pensar!!”. Tentava destruir Maria Clara (Malu Mader) e forçou Laura (Cláudia Abreu) a se casar com ele, utilizando fotos comprometedoras como chantagem. Lembrando que Laura era apelidada de “Cachorra” por seu amante Marcos (Márcio Garcia), este apelidado de “Michê”. Por sinal, tal casal foi assassinado por Renato Mendes. Só gente fina, gente boa mesmo.

Empreendedores em Novelas - Renato Mendes
“Você vai passar a dormir em um colchonete!”
Empreendedores em Novelas - Fábio Assunção
“Eu não te pago para pensar!”

4. Olavo Novaes (Wagner Moura – Paraíso Tropical – 2007)

Outro executivo estelionatário, outro vilão de sucesso. Pela definição do portal da própria novela, “Inteligente e ambicioso, não suporta o fato de Antenor Cavalcanti preferir Daniel, um simples filho de caseiro, a ele, que é da família. Tem um alto cargo no Grupo Cavalcanti, que se equivale ao de Daniel, mas, mesmo assim, o inveja. […] Cínico e perigoso, é simpático com todos e mantém uma boa relação com Daniel.”. Armou muito com sua amante prostituta Bebel e terminou morto com um tiro na testa. Uma coisa horrível.

Empreendedores em Novelas
“Aqui estão os papéis…”

5. Horácio Cortez (Herson Capri – Insensato Coração – 2011)

Embalado pelo ressuscitado hit “Que País é Esse?”, Cortez fez e aconteceu. Roubou, bateu em mulher, quase foi preso, se safou, fugiu do país usando dupla cidadania e com dinheiro escondido, foi preso finalmente… sendo que, dentro da cadeia, ainda mandava e desmandava, encomendando assassinatos inclusive.

Cortez, sempre elegante, com seus ternos risca-de-giz.
Cortez, sempre elegante, com seus ternos risca-de-giz.

Aí você pode pensar que esse é um perfil comum somente às personagens de Gilberto Braga. Não necessariamente. Podemos lembrar de diversas criações de outros autores.

Marcos Ribeiro (José Mayer – Viver a Vida, de Manoel Carlos – 2009)

Empresário alcoólatra, irresponsável, que traía a mulher e também a amante com outras amantes, passeando de lancha por Búzios e batendo-ponto em uma sorveteria na Rua das Pedras. Aqui vale aquela máxima que “Novela para José Mayer é micareta”, pois ele fica sempre com umas 6 mulheres, por baixo.

5 grandes empreendedores nas novelas das 8

Fred Lobato e Saulo Gouveia (Reynaldo Gianecchini e Werner Schünemann – Passione, de Silvio de Abreu – 2010)

Armando para tirar a empresa da mãe de Saulo. Por sinal, Saulo também morre baleado, destino comum aos executivos de sua estirpe nas novelas da Rede Globo.

5 grandes empreendedores nas novelas das 8

Jacques Leclair e Victor Valentín (Alexandre Borges e Murilo Benício – Remake da novela Ti Ti Ti, de Cassiano Gabus Mendes – 2010)

Provando que até na novela das 7 temos um comportamento similar. Um mente ao fingir ser gay para ganhar vantagens no mercado de moda e se aproximar das mulheres. O outro mente ao fingir ser espanhol para ganhar notoriedade. Um passa a perna no outro, vivem em concorrência feroz e desleal, usando falsidade ideológica e roubo de propriedade intelectual. Assim mesmo, sucesso total junto ao público infantil.

5 grandes empreendedores nas novelas das 8

E assim também foi com André Santana (Marcello Antony) que fazia de tudo para tirar a empresa de lingeries “Belíssima” das mãos de Bia Falcão. Bem como Flora (Patrícia Pillar) que fez o que pode para corromper Zé Bob, humilhar Silveirinha e assumir o poderoso Grupo Fontini, subindo do posto de cantora de dupla sertaneja ao cargo de presidente de multinacional.

Na verdade, é sempre assim. Onde há uma empresa forte, há um crápula passando a perna e prejudicando os outros. Até mesmo nas novelas das 6, aquelas de época que as vovós gostam, sempre há um coronel safado ratificando que poder é coisa de gente ruim.

E assim, pouco a pouco, infelizmente, cria-se a percepção no inconsciente coletivo brasileiro de que todo empresário ou executivo é bandido, safado ou tem interesses questionáveis. Se o cara comprou um carro mais bacana, ascendeu, ganhou uma conta grande ou concorrência… “hummm, aí tem…”. É uma pena, uma lástima para a formação empreendedora nacional.

Pouquíssimos são os exemplos que temos de empreendedores mocinhos nas novelas. Na maioria das vezes, são protagonistas menos queridos pelo público e/ou personagens sem muita graça. Mal dá para criar uma lista aqui.

Raquel Accioli, a sofrida guia de turismo que vira vendedora de sanduíches de praia.
Raquel Accioli, a sofrida guia de turismo que vira vendedora de sanduíches de praia

Obs.1: Se você conhece outros noveleiros, compartilhe e passe a “mensagem” adiante.

Obs.2: Para quem sentiu falta de Nazaré ou de demais nomes de outras novelas do SBT, Rede Record etc, favor incluir aqui na área de comentários. Muitíssimo obrigado!

Para sempre Nazaré.
Para sempre Nazaré!

12 COMENTÁRIOS

  1. Daniel,
    Mais um post mto bom!!! Sempre penso nisso quando assisto as novelas da Globo. Sempre cheio de falcatruas, um querendo se dar bem às custas do outro e um monte de assassinato. Sei q é isso q vende pra maioria do povo brasileiro. Mas é o q dizem: a novela é o retrato da vida.
    Tenho minhas dúvidas se não é a vida q imita a ficção… pq na minha opinião, tudo isso q a TV mostra gera raiva e desconforto na classe assalariada (eu sou assalariada, mas filha e neta de empreendedores) e fica achando q é tudo assim mesmo, tudo a mesma corja. O q não é verdade… acho q o dinheiro dos meus pais é mto mais limpo e suado do q de mtos congressistas, prefeitos, governadores… já isso não é mostrado nas novelas, pq senão haveria a censura… enfim, sei lá…
    O q eu gosto de pensar nessas situações é: ao invés de criticar, o q podemos fazer pra mudar??? Conte comigo pra fazermos juntos!!! 🙂
    Bjs

  2. Fala Marcus! Tudo bem? Deixe-me lhe fazer uma pergunta: Quando criança, você sonhou em ser o Hans Solo, Dr. Spock ou um Thundercat? Não sei qual é a sua idade, mas seja ficção ou vida real, a influência que a sociedade recebe da mídia, seja jornalística ou de entretenimento, é enorme! E você também já foi e ainda é influenciado pelo o que consumimos da informação ao nosso redor! O ponto aqui analisado é a má influência que novelas causam sobre o empreendedorismo brasileiro. Talvez não tenha ficado claro para você. Já as análises econômicas deste sistema financeiro virtual que encontra-se em colapso, nós deixamos para teóricos importantes, como os do departamento da PUC-Rio (eles realmente são bons). Aqui nossa análise é realizada sob um outro aspectro. Grande abraço!

  3. Nossa , aq ponto chegamos …
    Analisar ” empreendedorismo de ficção ” … kkkkkkkkkkkkkk
    Só pode ser muita falta do que fazer .. só pode .
    QQ. um dos casos acima relacionados seriam desbancados no primeiro instante , chega a ser BISONHO , ficar analisando novela … pára né …??? kkkkkkk
    Que tal analisar O BEM AMADO ??? aquilo sim é o Brasil … dirigentes , profissionais , ou seja , a baixaria começa desde cêdo , inclusive na formação desses tipos de profissionais que “analisam “novelas ” … certeza que isso é um grupo da PUC -RJ ? não são da minha época não … ta feia a coisa …meu Deussssssssssssssssssssss !!! kkkkkkkkkkk
    ABSURDO !!! CHEGA A SER HILÁRIO SE NÃO FOSSE TOSCO … ALÔ QUE TAL DAR UMA ANALISADA NA ECONOMIA DO PAÍS , NA CARGA FISCAL , NOS GASTOS PÚBLICOS , NOS JUROS ….

  4. Acabei de comentar com a minha namorada.
    Agora na novela a mulher ganhou na loteria, a novela poderia expor o sucesso de outra forma, ao abrir uma empresa, contratar funcionarios e virar um mega sucesso…
    lamentavel…

  5. Apesar de alguns empreendedores serem do bem, eles nunca são personagens principais. Os principais a Globo faz questão que sejam maus e corruptos! Assim fica difícil tornar um país em um país empreendedor!

  6. Aliás, na última novela das 20h tinha também o Bar do Gabino, que teve até merchan do Sebrae!

  7. GVelho,

    Sua cultura me espanta a cada dia! Não é possível uma pessoa saber tantas coisas assim…

    Ótimo post! Ficarei ligado nas novelas, subestimei as lições que tem a passar…

    Abs!

  8. Fernanda e Stephanie, muito obrigado pelas dicas. A filha da Griselda-faz-tudo é aquela menina que fabrica e vende uns potinhos, não é? Acompanharei.

  9. em fina estampa temos algumas empreendedoras como: a grizelda a faz tudo e mais um pouco, sua filha que faz produtos e vende, o casal que tem a pensão e o quiosque na praia….o Rene do restaurante….a taxista….essa novela temos uns bons exemplos.

  10. Lembrei! De novo Regina Duarte, a Rainha da Sucata e outra mala, Suzana Vieira em Senhora do Destino!

  11. Sou noveleira desde criancinha, confesso, e quando estava lendo só me lembrava da Raquel de Vale Tudo, uma verdadeira empreendedora gente boa e batalhadora (mesmo sendo a mala da Regina Duarte). Mas e os outros exemplos??? Não consigo lembrar de mais nenhum!! Na atual novela das 7 temos a Dona Dulce, brilhantemente representada pela Cássia Kiss, que ate já vendeu cocada na praça pra garantir o leite do neto. Mas fora isso, realmente ta difícil…

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome