A alimentação afeta o rendimento profissional?

0
1255
Alimentação e Produtividade

Este artigo foi escrito pela parceira da LUZ Nadia Cozzi, pesquisadora, consultora, culinarista e blogueira.

O ritmo intenso das grandes cidades, as exigências profissionais, com mil compromissos, pouco lazer, descanso zero, torna cada vez mais difícil cultivarmos hábitos saudáveis, não só alimentares, mas também na vida.

Esta semana estava ouvindo uma conversa entre 3 amigas onde uma se dizia tão cansada que havia tirado a tarde para relaxar, mas além de não conseguir, sentiu-se culpada por não ter realizado suas tarefas diárias. As outras amigas concordaram com ela, dizendo que também passavam pelo mesmo problema.

E nesse estilo de vida, se é que se pode chamar assim, acabamos deixando coisas importantes de lado, e a alimentação é uma delas.  ]
 
LUZ Planilhas Empresariais

É comum não termos mais horários fixos para as refeições e substituir a comida de verdade por sanduíches, refrigerantes, biscoitos, petiscos, salgadinhos etc.

Alimentação e saúde andam juntas, e quando a saúde não vai bem, tudo fica prejudicado.

Qualquer que seja a atividade a ser exercida, para o trabalho render satisfatoriamente, é preciso inteligência, eficiência, raciocínio, disposição, concentração, memória e condicionamento físico.

Quem comanda essa engrenagem toda é o cérebro, que necessita de pausas para descanso e uma boa fonte de energia, vinda de uma alimentação equilibrada e de qualidade. Fazendo uma analogia ao combustível que colocamos no carro, combustível ruim, desempenho ruim, não é assim?

Portanto alimentos ultraprocessados, recheados de sódio, açúcares e gorduras hidrogenadas, trazem redução na força muscular, fadiga física e mental, cansaço.

Nutriente não vem em saquinhos ou embalagens chamativas, vem das frutas, verduras, legumes, carnes, grãos e cereais. Com os nutrientes adequados, mais tranquilidade, horas de sono e relaxamento, o cérebro se mantém atento, atuante e criativo.

E não é só o cérebro, uma alimentação correta, influencia o humor, as decisões, as funções do corpo e consequentemente o desempenho profissional.

Cada atividade exige uma quantidade de energia

A quantidade de energia necessária deve ser medida de acordo com o esforço físico necessário para cada tarefa, além de fatores como sexo, clima, idade, entre outros.
 
LUZ Planilhas Empresariais
Uma alimentação balanceada leva em conta o tipo de trabalho, hábitos e gostos pessoais, traz ganhos energéticos, tranquilidade emocional e um bom funcionamento do organismo como um todo. Portanto, somos seres diferentes, cada um com suas necessidades, desconfie de dietas ou cardápios padronizados.

Pessoas que trabalham com atenção, concentração e memória precisam de alimentos como uva, morango, pêssego, kiwi, tomate, maçã, cebola, espinafre, canela, sementes e grãos. Ricos em antioxidantes, vitaminas e minerais.

produtividade e alimentação no trabalho - frutas

Lembrando, prefira os alimentos orgânicos, já que agrotóxico só faz bem para quem vende e para as indústrias farmacêuticas.

Alimentos ricos em ômega 3, ácidos graxos e vitamina B, como peixes, verduras, legumes, nozes e grãos devem ser opções diárias para quem trabalha com rapidez de raciocínio.

Uma informação importante, salmão de cativeiro não tem ômega 3, e nem é toda essa beleza que a indústria alimentícia anuncia. Leia A indústria do Salmão e os danos à saúde e meio ambiente. Prefira peixes como a sardinha e a cavalinha.

Os que utilizam muita força física devem evitar intervalos longos entre as refeições e optar por alimentos ricos em proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais. Tudo isso ajuda a reconstruir os músculos que sofrem desgaste durante o trabalho.

Aqui cai muito bem a perfeita combinação do arroz e feijão, riquíssima em nutrientes, aminoácidos, vitaminas, minerais, fibras e proteínas. Acrescente-se a isso verduras, carnes e frutas e surge uma refeição completa.

produtividade e alimentação - arroz com feijão

Em todos os casos é importante lembrar da água, hidrate-se em abundância sempre. Mantenha uma garrafinha de água, de preferência de vidro ao lado de sua mesa de trabalho, fica bem mais fácil lembrar da nossa grande amiga água.  

Existe relação entre acidentes de trabalho e a má alimentação?

A desnutrição afeta o trabalhador não só fisicamente, afeta sua coordenação motora, traz apatia, reduz a atenção, percepção e criatividade.

Com a falta de tempo optamos por uma alimentação rápida com valor nutricional quase zero, apenas matamos a fome, mas não nutrimos nosso corpo.

Um pouquinho de organização e conseguimos preparar refeições nutritivas, saborosas e fáceis de levar ao trabalho.

    • Frutas como: banana, uva, pera, goiaba, tangerina, maçã, laranja, ameixa, kiwi, e muitas outras já vem na embalagem perceberam?
    • Cenoura e pepino em palitinhos são ótimas opções para aquela fominha fora de hora, assim como as frutas secas.
    • No restaurante opte por mais saladas, grelhados e frutas de sobremesa.
    • Como já dissemos no artigo anterior “O ambiente onde nos alimentamos influencia na produtividade“, o conforto, a tranquilidade e o relaxamento na hora da refeição não podem ser ignorados.

 

 

Dez passos para uma alimentação adequada e saudável  

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação.
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias
  3. Limitar o consumo de alimentos processados.
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia
  6.  
    LUZ Planilhas Empresariais

  7. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados
  8. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias
  9. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece
  10. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora
  11. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.

Fonte: Guia Alimentar para a população brasileira

Finalizando, é importante ser crítico quanto ao que se consome como comida. Como bem ressalta o Guia Alimentar lembrar que comida de verdade não tem propaganda, já que “a função essencial da publicidade é aumentar a venda de produtos, e não informar ou, menos ainda, educar as pessoas. Avalie com crítica o que você lê, vê e ouve sobre alimentação em propagandas comerciais e estimule outras pessoas, particularmente crianças e jovens, a fazerem o mesmo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome