4 Ditados Proibidos para Empreendedores

5
1274
O olho do dono engorda a vaca

Empreendedorismo é o exercício de ver o mundo de uma forma diferente. É encontrar oportunidade onde as pessoas comuns veem chatice ou problema, é ver valor no que é considerado lixo. Nessa ótica, empreender também envolve negar muito do que nos é dito no dia a dia. Tenho parado para estudar a língua e cultura brasileira, a origem das palavras e ditados e avaliando o que e como eles me são úteis. Nesse trajeto, encontrei 4 ditados que os empreendedores deveriam abolir do seu repertório. Vamos a eles!

1. O olho do dono que engorda o boi

O olho do dono engorda a vaca

Há algo mais antiquado do que tocar sua empresa dessa forma? Resumindo para não ficar muito longo, geralmente empresas assim são compostas por chefes que não acreditam na sua equipe e terceirizam a responsabilidade de formar um time ao esbravejar aquelas frases típicas em casa, chopes e reuniões.

“É impossível motivar meus funcionários”, “as pessoas só querem me roubar”, “nenhum tipo de incentivo funciona”. Inevitavelmente e infelizmente, nesses lugares normalmente o dono se escraviza para garantir que o boi, agora inimigo dele, só engorde quando ele de fato olha, como ele projetou desde o início.

Sobre isso, dois pontos:

a. Se isso é cultura da sua empresa (te roubar, trabalhar sem afinco, etc), a culpa é sua e é difícil de aceitar e mais ainda de mudar mas

b. Sim, é possível engajar pessoas a fazerem algo, contanto que você as trate como seres humanos (é aí que normalmente mora o problema) e gere empregos dignos.

2. No Brasil isso não daria certo

circo Brasil

Essa a gente cansa de dizer, né? País burocrático, país do jeitinho, país onde só pobre paga pelos seus crimes, etc. Ao mesmo tempo quando falamos de Ricardo Semler, ninguém sabe quem é. Quando falamos de Rodrigo Baggio, idem. Exploramos outras áreas, perguntando sobre Mario Sergio Cortella, e Leonardo Boff, mesmo semblante.

Temos muita gente boa por aí, ídolos que estão bem porque fizeram bem aos outros de uma forma (até onde sei) corretíssima. A gente vê, o que a gente busca. Se informar comprando aquela revistinha convencional só lhe trará esse desespero mesmo. Acredite, coisas no Brasil podem dar certo (e cada vez mais), mas tem que querer e correr atrás.

3. Olho por olho, dente por dente

yoda fracasso

Não consigo pensar numa situação onde vingança seria a melhor decisão a ser tomada (apesar de adorar o filme acima). O saldo da vingança é sempre negativo, e alimenta ódios quase irreversíveis a longo prazo. Quando empreendemos é inevitável que cometamos erros. É claro que eu já vacilei, e você também. Mas não ter a capacidade de perdoar e se vingar apequenará as duas partes. Dentro da temática “novas formas de pensar o mundo”, acredito que largarmos esse ranço da vingança é algo importantíssimo.

4. Viva como se não houvesse amanhã

carpe diem

Toda essa onda do “viva o hoje, o amanhã é muito tarde” me preocupa também. Essa nossa forma imediatista e apressada de ver a vida não só tira a profundidade das relações, trabalho e etc, como também tira a saúde de nós. Agora jovem, se eu fosse viver hoje como se não houvesse amanhã, em 3 meses estaria com estafa. Em 1o anos, ataque de coração, e 20 anos caixão. Olha que coisa curiosa, SIM, HÁ AMANHÃ. E nele agradeceremos o bem que estamos fazendo hoje. Isso vale para o eu, mas também para as relações, nossoas decisões e o significado e finalidade que damos a cada coisa (inclusive e ressaltando o trabalho).

Embora difícil, por vezes é muito necessário questionar o óbvio. As ideologias estão tão entranhadas dentro de nós, que pouco questionamos algumas coisas que falamos e vivemos. E você, concorda que deveríamos proibir esses ditados? E quais outros adicionaria à lista?

Abraços!

5 COMENTÁRIOS

  1. Perfeito, como sempre!!!!
    Fico feliz em estar tendo a oportunidade de encontrar empreendedores que tratam seus funcionários como seres humanos, e para mim, isso faz toda a diferença!
    E assim, como diz minha mãe: “O ditado cai por terra”!

    Valeu Guilherme, por mais essa!

  2. Olá Girlene!

    Sempre um grande prazer te ver por aqui. Pois é, na verdade estamos sempre tentando trata-los como seres humanos. Dizer que já se trata é o início do fim, né?

    Perder a humildade, nunca!

    Bjs,

  3. Amigos, Todos sabemos que uma empresa é criada para crescer e muitas vezes estamos preocupados com a aquisição de clientes e não temos tempo para acompanhar os números desse crescimento. Fundamos o http://www.zeropaper.com.br, para ajudar todos que estão no início, o ZeroPaper é um gerenciador financeiro simples, inteligente e gratuito. Experimentem, é grátis! Tudo de bom a todos!

  4. Senhores(as): Venho acompanhando as mensagens postadas, as quais tem sido uteis em minha area de atuação (Consultoria Financeira e Administrativa).
    Mas neste, tenho dois reparos a fazer:
    No Ditado 3 : quando diz ” eu adoro este filme”, creio ter sido uma forma de expressão atual, muito usual, mas que traz significados profundos, pois a meu entender ” ADORAR “, é uma palavra que não deve ser usada para “atribuir sentimentos ou valores” a coisas materiais. Outro reparo está na palavra ” ranso” cuja grafia correta é com “ç”, ou seja, “ranço”.
    Quanto ao mais, está adequado.
    JR LAGO
    INFOSTRAX CONSULTORIA

  5. Olá JR,

    Boa tarde, obrigado pelo comentário! Você está certíssimo, o meu adoro foi um carioca, jovem usando linguagem verbal na escrita. Com relação ao ranço, já foi corrigido!

    Obrigado pelos toques.

    Abs,

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome