Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

0
521
Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

Por Dilma Balbi.

Alguns assuntos são mais espinhosos do que outros para a maioria de nós.

E dentre a coleção de espinhos, a relação com o dinheiro exibe papel expressivo.

Comentado até pelas religiões e partidos políticos, o que você faz com as suas finanças define bem o caminho para conquistas e fracassos.

Existe também um certo mistério.

Para um certo grupo de pessoas comentar com quem quer que seja sobre “grana” não é aconselhável. Melhor manter em sigilo os controles ou descontroles próprios.

Para muitos, até os familiares não devem conhecer a saúde financeira dos demais; nem seus desejos, sonhos, aspirações.

Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

Ao que parece, fica liberado, deste modo, o comportamento cada um por si, quando se trata do extrato bancário ou até mesmo do montante no contracheque.

Mas, pensa aqui comigo e me responde…

Ou melhor, faça a pergunta para você e se responda:

Não comentar, não pensar, manter em segredo de castelo, faz com que a situação melhore?

Se por acaso a resposta apontou para um sonoro não, vale continuar a leitura.

Porém, se a resposta for um altíssimo sim, também vale ler até o final, que podem ter boas surpresas por aqui.

Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

Alargando conceitos: tudo é meio de troca num determinado tempo

Está pensando numa viagem incrível? Conhecer um paraíso, repleto de bons ventos, flores, paisagens de pingar colírio e comidas que misturam o talento dos chefs com o tempero da tia Zezé?

Então….não abra os olhos ainda, só mais um instante.

Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

E se num cálculo assim, meio por alto, o total para este deleite custar a bagatela de R$ 5.000,00?

Parece incrível? Salgado? Fora de propósito? Perfeitamente possível?

Pronto, pode abrir os olhos.

Para cada uma das respostas está a sua percepção da importância desta viagem e das suas finanças.

O que você acumulou e o que ainda vai acumular é o meio pelo qual você pode realizar seus sonhos.

A turma das “exatas” costuma chamar a expressão “realizar sonhos” de “projeto”.

Só para lapidar o conceito, projeto tem início, meio e fim.

Ou seja, é um esforço num lapso de tempo onde são empregados recursos que conduzam ao objetivo.

Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

No nosso caso de revirar os olhinhos, o projeto é a viagem.

A sua percepção de inatingível ou de plenamente possível está diretamente relacionada ao intervalo de tempo e à prioridade que este projeto atinge dentre as outras tantas que você já possui.

No sumo apertado do caldo: a sua saúde financeira está intimamente ligada ao quanto você pode esperar para realizar um projeto ou, na mão contrária, o quanto ele é urgente.

Tem pressa? Há que precificar juros

Se você encasquetou para vai arrumar as malas hoje de noite e partir amanhã cedo, pode se preparar para atingir seu colchão financeiro de maneira mais profunda. Pode até esgotar toda a sua reserva e ainda faltar…

A urgência significa, via de regra, pagar mais, ter piores condições de negociar, de escolher, ou, até mesmo, arcar com um valor maior do que o efetivamente necessário para cobrir os juros em caso de empréstimo.

Dinheiro e tempo mantém uma relação de comunhão indissolúvel, nunca se esqueça.

Mas, deixa eu fazer um esclarecimento:

Este texto pretende desvincular implicações metafísicas, morais e éticas, trazendo a praxe que é remunerar a antecipação.

Se hoje se faz necessário um montante financeiro que não possuo, devo remunerar a quem me cedeu o montante. Esta é a lógica simplificada gerindo as transações de empréstimo.

Preciso de R$ 1000,00 hoje e não tenho? Vou retornar R$ 1.000 + juros à entidade que me concedeu o empréstimo.

Tem tempo? Há que precificar o retorno

Por outro lado, se posso adiar um consumo, um projeto para um tempo mais a frente, posso obter um ganho sobre este montante.

Se necessito de R$ 1.000 daqui a 180 dias posso buscar no mercado financeiro opções de fornecer este montante contra um plus (montante + juros).

Quando for retirar os R$ 1.000,00 naquele intervalo de tempo acertado, receberei também da entidade que tomou meu empréstimo o acréscimo correspondente (os juros).

Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

Como faz para decidir em que momento?

Para a pergunta qual é o melhor momento não é possível encontrar uma resposta certa e outra totalmente errada.

O mais certo a fazer em determinada circunstância da vida pode ser chutar tudo, pagar uma grana preta e partir numa viagem já!

Sonho ou pesadelo: como é sua relação com o dinheiro?

Ou o mais certo a fazer pode ser planejar com cautela todo o projeto da viagem, com uma boa antecedência, de modo a desfrutar em plenitude, sem abalos financeiros e emocionais.

Encontrando a resposta

Avaliar o cenário, conhecer suas possibilidades de ganho e de perdas, obter alternativas tanto para o empréstimo como para o investimento.

Agir após compreender tudo o que está inserido em cada projeto relevante na sua vida.

Lembrou do PDCA? Eu também!

Leia também: PDCA, mais que uma metodologia!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome