Tendências para 2018: Confira as Principais Oportunidades e Ameaças

1
3158
Tendências para 2018

Chegou o fim de ano, aquela época para preparar o planejamento da empresa para o próximo período e tentar prever o futuro, tentando descobrir o que vai acontecer que pode ajudar ou prejudicar o negócio. Para te ajudar, resolvi fazer uma lista com as principais tendências e como elas podem ser oportunidades e ameaças. Vamos juntos?

Eleições? Hora de fazer caixa!

eleições 2018

Ano que vem é ano de eleição e eleição é sempre um perigo e uma surpresa. Não existe um favorito e pelo cenário político brasileiro é capaz de termos uma eleição cheia de candidatos e votos muito pulverizados.

Se na última já tivemos Impeachment e várias mudanças de leis, além de escândalos de corrupção, não dá para saber o que vai acontecer ano que vem. A solução nesse caso? É hora de aproveitar o primeiro semestre do ano com a economia reaquecendo e a taxa de juros mais baixa para fazer o máximo de caixa que puder, mantendo a operação enxuta.

Oportunidade: As Eleições do ano que vem podem mudar o cenário político nacional por completo. Embora só vamos sentir o efeito disso em 2019, se o cenário for favorável tanto para a população quanto para o cenário político internacional, podemos ver um Brasil aparecendo mais otimista e como uma boa opção no futuro. Nesse caso, é importante fazer caixa para que possa se aproveitar e fazer investimentos quando esse cenário positivo aparecer.

Ameaça: Do mesmo modo que pode ser positivo, as eleições podem trazer vários problemas para o futuro. Nesse caso a dica é a mesma: melhor fazer um bom caixa para encarar as tempestades que virão.

Economia reaquecendo e queda na taxa de juros

economia brasileira em 2018

Como já falei no tópico anterior, a economia do Brasil mostra sinais de crescimento, inclusive com um crescimento no PIB, ainda tímido, mas um bom indicativo. Além disso a taxa de juros caiu bastante (e deve cair mais).

Esse cenário econômico positivo já trouxe algumas notícias positivas, como as pessoas comprando mais na Black Friday e com uma projeção boa para o Natal, além do aumentado no número de ofertas de emprego nesse fim de ano (além das temporárias, diga-se de passagem, que também tiveram um aumento).

Oportunidades: A taxa de juros mais baixa vai trazer mais facilidade para se obter empréstimos e investimentos. É um bom momento para pegar dinheiro e abrir seu negócio (fazendo um Estudo de Viabilidade e um Plano de Negócios, você tem menos chances de ter problemas no seu novo negócio). O aquecimento da economia logicamente levará a um maior consumo então vale a pena facilitar para o consumidor também.

Ameaças: Se você vive de renda, essa taxa de juros será um problema. Talvez valha a pena alocar os recursos em outros tipos de investimento.

O Apocalipse das lojas físicas e o surgimento dos marketplaces

Essa é uma verdade inevitável: depois do surgimento da internet o jeito que fazemos negócios tem que ser repensado, principalmente quando olhamos o varejo.

Cada vez mais os clientes se sentem mais seguros de fazerem compras em lojas virtuais e a cada ano o varejo em lojas físicas aumenta sua retração. Em fevereiro de 2016 ele já tinha encolhido 3,2% enquanto as vendas virtuais subiam 8%. Esse ano, as quedas continuaram, com 2% mas o crescimento dos ecommerces foi de 26%.

Essa distância só vai crescer até que as lojas físicas percam toda sua importância. Iniciativas de Marketplaces, onde você pode botar a venda os seus produtos dentro de uma grande loja virtual como a Amazon, se aproveitando de todo o marketing que eles fazem além da logística, vai fazer com que cada vez mais as pessoas adotem esse modelo em suas lojas, numa evolução do modelo das multimarcas.

A própria Amazon, a grande referência e líder no mercado mundial, saltou de 1 para 90 bilhões de faturamento em 15 anos, e continua crescendo. O consumo na internet fica mais fácil a cada ano e as opções logísticas tem cada vez aumentado. Se os Correios forem privatizados, e existe uma possibilidade disso, vai existir um aumento no número de empresas de logística no Brasil que vai aumentar ainda mais os números do mercado de lojas virtuais.

Oportunidade: Se você tem um negócio de varejo físico, essa é a hora de migrar pro mundo digital, antes que seja tarde. Hoje em dia está cada vez mais fácil ter uma loja virtual, utilizando plataformas como o Shopify, Loja Integrada e Woocommerce, para citar algumas.

Além desse ponto é importante manter a presença online dentro dos marketplaces. As maiores lojas virtuais do brasil, como a Amazon, Americanas e Submarino já possuem um espaço desses. Você seu produto e paga uma comissão por isso a cada venda, bem simples, não?

Ameaça: O fim do varejo físico como conhecemos. Ano que vem a tendência é que o setor continue em queda e que as compras online só continuem subindo. Com o tempo provavelmente só grandes centros comerciais, como shoppings, devem aguentar esse tranco e os aluguéis dentro deles não deve baratear por isso.

Surgimento de mais Fintechs

Eu já disse no tópico anterior mas não custa nada repetir: a tecnologia mudou o jeito de fazermos negócio e se ainda existe alguém de olhos fechados para isso, essa pessoa está muito errada.

Um bom exemplo disso são as fintechs, startups que vem com o único objetivo de mudar o jeito que os serviços financeiros acontecem, acabando com a estabilidade dos modelos de negócio dos grandes bancos.

Seja emitindo um cartão de crédito sem anuidade e com a taxa de juros mais baixa do mercado, com todo o atendimento se dando pelo celular, como é o caso do Nubank, ou facilitando a forma de se fazer investimentos, como o Warren, e até sendo um banco 100% digital como o Neon, nada vai escapar das fintechs em 2018 e só iremos assistir um crescimento de empresas desse tipo.

A FintechLab tem um relatório que eles fazem periodicamente que aponta um crescimento de 36% nesse setor, pelo menos até novembro de 2017. Para conferir o relatório, clique aqui. Esse resultado não é de todo surpreendente já que, no Brasil, cheio de burocracia e ineficiência em alguns setor, alguém que consiga montar um negócio sem esses dois fatores negativos acaba se sobressaindo muito.

Oportunidades: Quer empreender com uma fintech? Com o crescimento do setor e a economia reaquecida + baixa taxa de juros, talvez seja um bom momento de pegar um investimento.

Para quem já tem um negócio a oportunidade é começar a utilizar esses serviços e aumentar a eficiência de alguns processos financeiros, além da redução de custos.

Ameaças: Com o crescimento do setor pode acontecer o pior e uma regulamentação pesada bater com tudo em alguma dessas empresas, portanto vale adotar sempre com calma os serviços de cada uma delas. Os bancos ainda tem influência no cenário brasileiro e ainda não será possível se livrar deles 100%.

Inteligencia artificial não é mais ficção

Parece papo de ficção de científica mas não é: a inteligência artificial já está entre nós e não tem mais volta. Seja na criação de robôs que vão analisar um volume de trilhões de dados em minutos ou carros autônomos, vai ser difícil ficar longe da influência da inteligência artificial.

Ainda falta uma certa parte do caminho a ser trilhada e estamos longe de termos robôs reais como os de Westworld, mas muita coisa já foi feita nesse sentido. Já tem software sendo criado para analisar dados e auxiliar na tomada de decisões, já tem assistente pessoal em nossos celulares, tem carro que se dirige sozinho e prevê acidentes que ainda vão acontecer salvando seus motoristas. Até mesmo a Netflix mostrando o que você deve ver logo depois de terminar um filme é um exemplo de inteligência artificial.

Oportunidades: Para qualquer negócio vale a pena pensar em soluções que usem inteligência artificial para entender os dados de clientes, tentar enxergar padrões e ajudar na tomada de decisão. Existem algumas ferramentas nesse sentido sendo criadas e muitas outras irão nascer nos próximos anos, vale até se tornar pioneiro e criar uma solução própria.

Ameaças: Robôs vão substituir tudo e automatizar quase tudo em muitos negócios. Vale se adiantar a isso e não ser pego de surpresa.

O futuro das relações está no Blockchain

Você talvez não tenha ouvido falar em Blockchain ainda, mas com certeza já ouviu falar em Bitcoin, certo? A criptomoeda foi a responsável pela lógica de criação da tecnologia do blockchain.

Blockchain é basicamente um sistema de registro em blocos, onde quem faz parte do sistema tem acesso a todos os blocos dele, mas como todas as informações são criptografadas esses dados não são acessíveis por ninguém de fora. Assim, a cada transação, as duas partes interessadas podem ter acesso ao histórico da outra, verificar se está tudo ok, e registrar uma transação.

Essa lógica já é atuante dentro da própria bitcoin, com as trocar financeiras, mas a aplicação dessa lógica pode ser estendida a quase tudo que exija uma troca entre as partes. Imagina comprar uma casa e não precisar de corretor nem de cartório, confiando apenas num sistema em blockchain para validar o negócio? É isso tipo de coisa que torna o blockchain tão interessante: a ausência de um intermediador.

Oportunidades: Novos usos de Blockchain devem surgir no próximo ano: desde uma linha de logística mais transparente e fácil de ser registrada, até a eliminação da verificação na hora de dar crédito a uma pessoa, passando por uma assinatura de contratos. Vale pensar em como sua operação e seu negócio podem se beneficiar dessa tecnologia.

Ameaças: A tecnologia por trás do Blockchain pode matar vários negócios que não decidirem inovar. Vale estudar e ficar por dentro do assunto e não ficar para trás.

Não tem mais volta: O trabalho remoto é uma realidade

Essa é uma tendência que vem aumentando a cada ano (já falei dela como tendência em 2016!) mas, em 2018, pelo menos no Brasil, vai pegar de vez, principalmente depois da reforma trabalhista: Home Office não vai ser mais uma realidade para poucos.

Existem diversas pesquisas que apontam que funcionários que trabalham de home office produzem mais. Além disso, está cada vez mais fácil se comunicar com seus funcionários em qualquer lugar do mundo.

Oportunidades: Essa é a hora de cortar custos com escritório do seu negócio e economizar com esse custo (lembre-se que ano que vem é hora de fazer caixa!). Além disso, empresas que oferecem esse benefício de trabalho tendem a reter mais capital humano.

Ameaças: Vai ficar mais complicado manter seus funcionários com outras empresas oferecendo essa prática. É hora de aceitar essa mudança, com o risco dos empregados pedirem para sair do negócio.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome