Tudo Que Você Queria Saber Sobre Sócios Mas Tinha Vergonha de Perguntar

6
491
5 negócios sociais brasileiros realmente inspiradores!

Manter uma sociedade empresarial é o último estágio da relação de trabalho entre duas ou mais pessoas. É uma experiência de divisão de sonhos e desafios que praticamente não possui limites. É tão difícil de se manter que todos nós nos perdemos de vez em quando no caminho. E, no meu entender, o primeiro desvio perigoso ocorre quando deixamos a chama sonhadora do momento criador da relação evoluir para uma simples e tediosa divisão de tarefas. Quando, na verdade, deveríamos evoluir em direção ao compartilhamento de sentimentos e a intimidade entre os envolvidos.

Outro agravante é o velho, mas importante, clichê de de casais apaixonados “não gosto apenas de você, mas de quem eu me torno ao seu lado”. Algumas sociedades, assim como relacionamentos amorosos, acabam buscando a satisfação e realização apenas entre si. Desejando, ambos os lados, que a única fonte satisfação profissional venha do “parceiro”. Essa é a receita para se implodir uma relação. Uma sociedade não é só o que sócios fazem juntos, mas o que eles permitem/incentivam/habilitam que seja feito com outras pessoas.

 

Além disso tudo, essa espera pela complementariedade perfeita do sócio acaba cegando os sócios das oportunidades contidas na “deficiência” do parceiro, culminando em um sentimento de “eu estou junto, mas continuo sozinho”. O conflito e as falhas são importantes para que todos se desenvolvam como pessoas e profissionais e devem ser saboreadas, conversadas, expostas e resolvidas. Afinal de contas, o que importa mesmo é o processo de crescimento e a experiência.

 

Sendo assim, gostaria de fechar essa semana convidando todos os sócios que lêem o nosso blog a conversarem cara-a-cara honestamente sobre seus sentimentos, aflições e inseguranças e deixem a velha lista de tarefas de lado!

[newsletter titulo = ‘Assine nossa newsletter’ texto =’Receba ferramentas de gestão gratuitas toda semana!’ desconto =’10%’]

6 COMENTÁRIOS

  1. Verdade! Já tive sócios em mais de uma oportunidade. Dificílimo “separar as coisas”. Amizade, competências, tarefas, expectativas….saber o que devemos alimentar é primordial. Até hoje não tive coragem de tentar novamente, sigo sozinha, mais devagar. Preciso me conhecer melhor, saber minhas limitações e desenvolver o respeito e aceitação do outro.

  2. Oi Alzira!

    Alguns momentos precisamos dar um passo para trás para voltar a avançar. No entanto, eu diria para subir de novo no cavalo o quanto antes, pois o aprendizado real vem da tentativa.

    Beijos!

  3. Bem, concordo plenamente, ainda estou pra viver isso mais de perto, porque minha empresa ainda não começou, enfim, trabalhei em uma empresa onde fui chamado para coordenar o MKT Online da empresa, onde um dos sócios era meu amigo de colégio, ali me deparei com uma sociedade feita em casal, ambos, a todo momento faziam a disputa do poder pra ver quem mandava mais, deixando toda equipe maluca, já que fazia questão de mandar e desmandar as ordens do outro, por fim via, cada vez mais um ficando doente e outra ultra extressada, porque levar para empresa e pra casa é muito complexo, no final acabou tudo, casamento e sociedade e o resultado recaiu diretamente na empresa com um corte violento na equipe. Tem que saber separar e resolver ali se não é impossível ser sócios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome