O Imposto Pode te Cegar

0
3583

Por escrito por Frederico Fernandes da LA Contab.

 

Ouço com muita frequência (maior do que desejava) a mesma reclamação – “Minha empresa paga muitos impostos. Isso está me matando.” A primeira resposta que vem a mente é “Você e toda torcida do Flamengo”. Certamente não digo isso ao cliente, mas faço aqui o mesmo exercício que faço com eles.

1ª Pergunta: Os seus concorrentes diretos aplicam a mesma forma de tributação da sua empresa?

Sua reclamação tem procedência se seus concorrentes são tributados pelo SIMPLES NACIONAL e sua empresa pelo LUCRO PRESUMIDO, se todos faturarem no ano menos de um milhão de reais. A diferença de alíquota entre estes dois modelos quando abaixo deste faturamento, geram vantagens no preço final da empresa do SIMPLES.

[newsletter titulo = ‘Assine nossa newsletter’ texto =’Receba ferramentas de gestão gratuitas toda semana!’ desconto =’10%’]

2ª Pergunta: Os seus concorrentes diretos aplicam de alguma ilegalidade para concretizar negócios?

Se os seus concorrentes vendem sem nota ou pagam propina para fechar negócio, aí se torna uma luta entre o legal e o ilegal. O imposto não é o culpado disso e sim o cliente. A pergunta que cabe: Este é o cliente que você quer? E é o único cliente que pode comprar na sua empresa?

3ª Pergunta: Você sabe calcular os custos do seu negócio?

Vejo com uma frequência absurdamente grande que muitos não conhecem os custos do seu negócio, principalmente os prestadores de serviços. E aí, quando se recebe do cliente e tira o dinheiro dos impostos, não sobra o suficiente para pagar os custos e ter o lucro desejado. Então a culpa é dos impostos que são altos demais. ERRADO. Reveja seus custos. Compare o que considerou na formação de preço e o que tem após a execução.

4ª Pergunta: Você sabe como incluir os impostos no preço de venda?

Veja eu tenho um produto que desejo receber R$ 9.400,00 por ele (receita líquida) e tenho que pagar 6% de impostos sobre o valor das minhas vendas. Qual deve ser o valor da nota fiscal para que eu possa ficar R$ 9.400,00 depois dos impostos?

É simples e serve para qualquer alíquota e qualquer modelo de tributação.

Voltando ao exemplo:

 

Resultado final.

 

Se calcular 6% de R$ 10.000,00 terei R$ 600,00 de imposto e ficarei com R$ 9.400,00 na mão.

 

O erro mais comum é pegar R$ 9.400,00 e multiplicar por 6% que dá R$ 564,00 e somar ao principal. Nesta forma o valor da Nota fiscal seria de R$ 9.964,00. Dessa forma você perdeu 0,38% da sua margem. (Era o que se pagava de CPMF, lembra?).

 

O que busco com estas perguntas? Tirar o imposto de bode expiatório de tudo de ruim no resultado na empresa e trazer luz para os problemas reais:

  • O preço que você pratica é determinado por você ou pelo mercado?
  • Você está posicionado de forma adequado?
  • Seu problema é de produtividade ou demanda?

Dito tudo isso, posso afirmar que nossa carga tributária é alta e não muito diferente de vários outros países em desenvolvimento. Nosso sistema é desigual e não nos oferece serviços de qualidade para compensar a alta carga tributária.

Mas não deixe seu negócio morrer por não enxergar o problema real.

[newsletter titulo = ‘Assine nossa newsletter’ texto =’Receba ferramentas de gestão gratuitas toda semana!’ desconto =’10%’]