Teoria Comportamental: O que é e como aplicar

0
153
Teoria Comportamental: O que é e como aplicar

Teoria Comportamental surgiu em 1947 nos Estados Unidos, onde até então se dava ênfase nas mecanizações das tarefas e na estrutura das organizações, nos métodos e nas máquinas, porém com o passar dos tempos começou um questionamento sobre a eficácia dessa metodologia e observou-se a necessidade da substituição do homem economicus para o homem social. Notou-se que a felicidade humana ia além de recompensas salariais ou estímulos econômicos, e sim da necessidade humana de pertencer a um grupo social e interagir com o mesmo, receber estímulos não materiais. Deu-se lugar agora para a motivação, liderança, comunicação, organização informal, dinâmica de grupos e etc.

As principais Teorias Comportamentais

Hierarquia das necessidades de Maslow

Maslow criou uma teoria motivacional bastante conhecida no mundo corporativo que trata-se de uma pirâmide, onde se determina todas as necessidades do homem, desde as necessidades fisiológicas localizada na base da pirâmide até as necessidades de auto-realização localizadas no topo.

  • Necessidades fisiológicas: Alimentar-se (fome e sede), ir ao banheiro (aliviar-se), necessidade sexual (reproduzir-se), ter abrigo (se proteger do frio e do calor) e também de dormir (repousar e descansar), enfim são todas as necessidades que irão garantir a sobrevivência do individuo.
  • Necessidades de segurança: Consiste em proteger-se a si mesmo e a sua família de qualquer perigo seja ele real ou imaginário, isso vale para qualquer fator que para o homem traga riscos para ele e sua família.
  • Necessidades Sociais: Todos sabem que o homem não vive sozinho, ele precisa de amigos, família, trabalho, uma companheira(o), filhos(as), enfim o convívio com outras pessoas e sua aceitação nesse grupo é uma necessidade de elevada importância e estímulos para o homem.
  • Necessidades de estima: Está mais ligada ao psicológico do homem, onde ele se autoavalia, se questiona sobre sobre sua boa ou má conduta, seus princípios, seus valores, sua competência, qual a sua função no meio em que o envolve. Se a sua autoestima estiver baixa as consequências variam desde o desânimo, baixa produtividade, frustração, até a sua inutilidade dentro da organização.
  • Necessidades de auto realização: Está ligado diretamente ao poder (simbolicamente), prestígio, reconhecimento profissional, ter seu trabalho valorizado, ser bem recompensado, enfim, a autorealização não é algo padronizado e varia de indivíduo para indivíduo. Pode-se assim dizer que é como se fosse a realização de um sonho ou uma meta alcançada.

 

Fatores Higiênicos e motivacionais de Herzberg

 

  • Fatores Higiênicos: O salário, recompensas e benefícios sociais, condições físicas e estruturais do ambiente de trabalho, políticas, valores e princípios da empresa, etc.
  • Fatores Motivacionais: Esse fator motivacional é bem semelhante a autorealização pessoal e profissional, poder e prestígio, reconhecimento e valorização. Quando totalmente satisfeitos com esses fatores elevam ao máximo a satisfação das pessoas, agora quando precários causam diversos tipos de prejuízos.

 

Teoria X e Teoria Y

 

Teoria X: Baseia-se nas convicções errôneas sobre o comportamento humano.

Exemplo: As pessoas são

  • Preguiçosas e insensíveis, incapazes de sentir do física;
  • Evitam a responsabilidade a fim de se sentirem mais seguras;
  • Precisam ser controladas e redigidas;

Teoria Y:  Baseia-se em concepções sem preconceitos a respeito da natureza humana.

Exemplo: As pessoas são

  • Procuram e aceitam as responsabilidades;
  • Criativas e competentes;
  • Podem e devem ser motivadas.

Aplicação na Prática

A Teoria comportamental ao trazer o foco dos aspectos estruturais e estatístico das organizações para dar ênfase nas pessoas e seus comportamentos, ele traz consigo outros fatores que são fundamentais para o crescimento da empresa.

 

·       Recursos Humanos: Com a necessidade de deixar de lado as estatísticas e mecanizações das tarefas e o olhar mais sistematicamente para as pessoas e seus comportamentos, as organizações criaram um setor especializado em estudar e contratar profissionais que mais se encaixam com o perfil da empresa, que tenha as habilidades e capacidades que a empresa necessita para ocupar determinado cargo e executar determinadas tarefas. Com isso, aumenta a chance da empresa encontrar o candidato certo que realmente vai ajudar no desenvolvimento da mesma, coisa que até então não existia antigamente. Mas recursos humanos vão muito além de contratações e folha de pagamentos, eles também estudam o comportamento humano a fundo, entendem muito bem sobre motivação, liderança, hierarquia, clima organizacional, e muitas outras coisas que influenciam positivamente e negativamente no comportamento do profissional dentro da organização.

·       Motivação: Cada pessoas possui motivos ou necessidades que impulsionam seu comportamento e que são pessoais e individuais, que podem ser chamados de desejos, sonhos e inspirações. Pessoas motivadas trabalham melhor, são mais eficientes e produtivas, geram vínculos com a empresa e com a experiência podem contribuir mais no crescimento da organização.

·       Turnover: A dificuldade em participar e de se relacionar com um determinado grupo dentro da empresa podem provocar um aumento na rotatividade de pessoal e consequentemente gerar desgaste psicológico, fadiga, moral baixa, perda de confiança na empresa, redução de desempenho entre outros fatores por conta dos funcionários para com a empresa. Já para a organização essa alta rotatividade causa prejuízos financeiros

Conclusão

A Teoria Comportamental nos ensina que as pessoas são completamente capazes de tomarem suas próprias decisões, que podem ser motivadas e estimuladas a darem o seu melhor no ambiente de trabalho. Pessoas são influenciadas por diversos fatores que as envolvem, e que suas necessidades vão além da remuneração e gratificações, as pessoas precisam ter contato humano seja em casa ou no trabalho, pertencer a grupo e ser bem recebido por ele, nos mostrando o lado psicológico e social das pessoas, e que para um bom desempenho profissional a empresa precisa suprir todas as essas necessidades. Uma empresa que valoriza seus funcionários, que os respeita, que zela pela suas dignidades, e que não os reprime ou tenham algum tipo de preconceito, podem ter funcionários mais produtivos, pró-ativos, eficazes, que são capazes de darem o melhor de si e tudo que puderem para retribuir o que a empresa faz por cada um deles. Pois quer coisa pior do que funcionário que trabalha apenas por ter que trabalhar para se sustentar? Nada mais gratificante do que trabalhar por amor, fazendo o que se ama e sendo recompensado por isso!

 

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorInvestidor Anjo: o que é e como funciona
Próximo artigoO que é Comunicação Interpessoal
Leandro Borges
Leandro começou a vida profissional prestando consultorias centenas de pequenas empresas em todo o Brasil e foi professor em instituições como SEBRAE, Vale, Souza Cruz, FIRJAN, COPPE e FGV. Hoje, é encantado pelas facilidades que o Excel traz para a gestão empresarial e quer levar essa maravilha para o Brasil e o Mundo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome