Como e Por que Fazer um Estudo de Viabilidade Econômica e Financeira

  19 Comentários   Gestão na Prática  
Compartilhe com amigos:

O estudo de viabilidade econômica e financeira é a parte final do planejamento de um negócio, na qual é mensurada a viabilidade do mesmo através de indicadores financeiros. O resultado dependerá do investimento inicial estimado.

Voltar para:
Como fazer um plano de negócios?
Como fazer um plano financeiro?

Quando fazer: Um estudo de viabilidade econômica e financeira (EVE ou EVET) deve ser realizado sempre que um novo projeto esteja em fase de avaliação. Esse projeto pode ser tanto a expansão do seu negócio quanto a própria abertura da empresa.

Por que fazer: O grande benefício desse tipo de análise é conseguir visualizar através de projeções e números, o real potencial de retorno do investimento em questão e, portanto, decidir se as premissas estão interessantes e se o projeto deve ir adiante ou não.

Como fazer: Existem várias etapas para realizar um bom estudo de viabilidade econômica, portanto vamos por partes.

Planilha de Estudo de Viabilidade Econômica

a) Projeção de Receitas

Não existe um ordem específica de preenchimento dos dados para um estudo de viabilidade, mas sugerimos que inicie-se pela projeção de receita. O prazo de projeção varia de projeto para projeto de acordo com a expectativa de retorno. Ou seja, se você vai abrir uma lanchonete, provavelmente um horizonte de 3 a 5 anos seja suficiente. Já projetos maiores como uma construção de uma hidrelétrica, normalmente tem horizontes de décadas, pois o retorno é de maior prazo.

Projeção de Receitas e Custos - Como Projetar Gastos no seu Estudo de Viabilidade Econômica

Nesse momento, o importante é conseguir fazer aproximações do tamanho do público-alvo, com premissas de conversões baseadas em dados históricos ou comparativos de mercado. Em casos que nenhuma opção é possível, deve-se fazer o cálculo inverso começando pelos custos já previstos e a receita necessária para obter uma taxa de retorno atrativa.

Outro ponto importante, é estimar a taxa de crescimento do negócio ao longo do tempo, visto que a receita não começa nem se mantém no mesmo patamar.

Exemplo:

Vamos dizer que o seu público-alvo são os moradores do bairro. Sabe-se através de informações e pesquisas feitas pela prefeitura da cidade que o bairro em questão possui 100.000 moradores. No entanto, o seu serviço é focado apenas para mulheres e esse número cai para 45.000.

Portanto, se a conversão de clientes esperada for de 10% ao mês, você terá um público de 4.500 clientes. Se o ticket médio (gasto médio por cliente), for de R$20,00, você poderá faturar até R$90.000,00. Se esse for o maior faturamento possível do seu negócio, provavelmente você não começará ganhando isso no primeiro mês e deve projetar o crescimento desde a abertura até chegar nesse patamar.

Planilha de Estudo de Viabilidade Econômica

b) Projeção de Custos e Investimentos

Da mesma forma que foram projetadas as receitas ao longo do tempo, você deve levantar os investimentos necessários para iniciar o negócio e também os custos operacionais do negócio para funcionar normalmente. Isso inclui de maneira simplificada:

– Custos Fixos: Aqueles que são recorrentes e previsíveis como aluguel, salários, luz.

– Custos Variáveis: Aqueles que variam de acordo com a produção e as vendas como comissões, taxas.

– Impostos: Caso a empresa ainda não esteja aberta, é importante ver com o contador qual seria a classificação do novo empreendimento.

O importante nessa etapa é conseguir os orçamentos mais realistas possíveis em contato direto com fornecedores ou fazendo pesquisas on-line.

Projeção de Despesas Fixas - Como projetar gastos no seu estudo de viabilidade econômica

c) Análise de Indicadores

Nas etapas anteriores, pode-se até encontrar alguns problemas no modelo de negócio e precisar ajeitar refazer as premissas financeiras e as projeções. No entanto, o real benefício do estudo de viabilidade econômica são os indicadores finais:

Valor Presente Líquido (VPL): Esse indicador aponta quanto o fluxo de caixa livre acumulado da sua projeção total valeria hoje em dia. Para chegar a esse valor, deve-se descontar o custo de capital (também conhecido como taxa de desconto ou WACC). Esse valor deve ser basicamente comparado com o capital investido para saber se o projeto/empresa gerou mais capital do que foi investido. Por exemplo, se você investiu R$50.000,00 e seu VPL for de R$45.000,00, esse investimento não valeu a pena. Apesar do fluxo financeiro ter sido positivo ao longo do tempo, economicamente o resultado foi negativo.

Taxa Interna de Retorno (TIR): A TIR indicada a taxa de retorno do investimento utilizando o mesmo fluxo de caixa livre acumulado do VPL. A diferença é que enquanto o VPL oferecer um indicador absoluto e em moeda, a TIR oferece uma visão de retorno percentual que pode ser mais facilmente comparada à outros investimentos. Ou seja, se a sua TIR for de 0,2% ao mês e a poupança estiver pagando 0,5% ao mês, a decisão matemática deve ser não investir do projeto/empresa e guardar esse dinheiro no banco.

Payback (retorno de capital): O Paypack indica o momento no qual o projeto já gerou a mesma quantidade de caixa que gastou no início do projeto. Em outras palavras, é o período (mês ou ano) no qual o fluxo de caixa livre acumulado deixou de ser negativo para positivo. Assim, você sabe quantos meses terá que esperar para ter o seu dinheiro investido de volta. Esse cálculo pode ser feito descontando ou não o custo de capital. Normalmente, opta-se por não descontar, pois o cálculo é mais simples e a variação é pouca em projetos menores.

indicadores de viabilidade economica - viabilidade geral

Planilha de Estudo de Viabilidade Econômica

Compartilhe com amigos:

Inscreva-se e receba o conteúdo semanal
que realmente importa

Experimente! É grátis e, se não gostar, basta cancelar o envio com 1 clique.
 

Deixe seu comentário aqui

  • Fernando Zorzi

    Bom para um roteiro de ETE, porém deveriam abordar melhor como fazer os cálculos (wacc, VPL, TIR…) muita gente pode ter interesse, olhar essa postagem, porém não conseguir calcular esses indicadores.. poderiam fazer posts específicos para cada um, posteriormente, linkando esse artigo com os futuros posts. Sucesso!

    • Oi Fernando!

      Excelente sugestão. Vou colocar aqui na nossa lista de posts futuros, ok?

      Muito obrigado mesmo.

      Abraços

  • Pingback: O que é e Como Calcular o Valor Presente Líquido | Blog LUZ.vcBlog LUZ.vc()

  • Edson Carvalho

    E quanto a Taxa de desconto, como calcular e/ou interpretar?

    • Oi Edson,

      A taxa de desconto é um pouco mais complexa e vamos fazer um post sobre isso em breve, ok? De maneira simplista, ela é a taxa mínima de atratividade que você teria no projeto. Pode-se, para começar, usar a taxa SELIC. Mas as melhores práticas indicam fazer uma média ponderada de várias fontes de retorno possíveis.

      Abraços!

  • joaquim

    como fazer estudo de viabilidade para empréstimo bancário da empresa

    • Rafael

      Oi Joaquim, tudo bom?

      A lógica é bem parecida ao uso estudo de viabilidade econômica. Basicamente você precisa entender se o empréstimo que você vai pegar terá retorno. Ou seja, faça o estudo de viabilidade colocando o empréstimo como um investimento inicial e faça projeções de crescimento da empresa usando esse valor para entender se o retorno faz sentido ou não.

      Não esqueça de levar em consideração juros, inflação e itens similares para não tomar um susto quando levar o cálculo para a realidade. Abraços e qualquer outra dúvida é só me falar

  • Pingback: Estamos de Volta e queremos que 2015 tenha a sua cara! -()

  • costinha vandunem

    isso vai me ajudar muito espero que o meu projeto de certo vou faturar muito valeu.

  • Valdo

    quais os principais indicadores de viabilidade?

    • Oi Valdo,

      Tudo bom? Os indicadores são estes que podem ser encontrados no final do post:

      Valor Presente Líquido (VPL): Esse indicador aponta quanto o fluxo de caixa livre acumulado da sua projeção total valeria hoje em dia. Para chegar a esse valor, deve-se descontar o custo de capital (também conhecido como taxa de desconto ou WACC). Esse valor deve ser basicamente comparado com o capital investido para saber se o projeto/empresa gerou mais capital do que foi investido. Por exemplo, se você investiu R$50.000,00 e seu VPL for de R$45.000,00, esse investimento não valeu a pena. Apesar do fluxo financeiro ter sido positivo ao longo do tempo, economicamente o resultado foi negativo.

      Taxa Interna de Retorno (TIR): A TIR indicada a taxa de retorno do investimento utilizando o mesmo fluxo de caixa livre acumulado do VPL. A diferença é que enquanto o VPL oferecer um indicador absoluto e em moeda, a TIR oferece uma visão de retorno percentual que pode ser mais facilmente comparada à outros investimentos. Ou seja, se a sua TIR for de 0,2% ao mês e a poupança estiver pagando 0,5% ao mês, a decisão matemática deve ser não investir do projeto/empresa e guardar esse dinheiro no banco.

      Payback (retorno de capital): O Paypack indica o momento no qual o projeto já gerou a mesma quantidade de caixa que gastou no início do projeto. Em outras palavras, é o período (mês ou ano) no qual o fluxo de caixa livre acumulado deixou de ser negativo para positivo. Assim, você sabe quantos meses terá que esperar para ter o seu dinheiro investido de volta. Esse cálculo pode ser feito descontando ou não o custo de capital. Normalmente, opta-se por não descontar, pois o cálculo é mais simples e a variação é pouca em projetos menores.

      Abraços!

  • Angélica Araújo

    Oi Leandro, então, não estou conseguindo fazer um cálculo. Fiz um investimento no valor de 40.000,00. Estou tendo um valor de 15% em cada venda. Como saber se o resultado vai ser positivo ou negativo. Obrigada

  • Ibrahim Rehamtullah

    Oi,
    Estou tentando criar uma micro empresa de microcrédito por isso estou a ler alguns manuais e a analisar alguns casos de estudo. No entanto tenho alguma dificuldade em perceber a projecao de alguns numeros na tabela de fluxo de caixa para analise de viabilidade.
    Gostaria, se alguém puder me explicar, de saber como ela é construida e quais formulas são usadas. Pode ser uma projeccao de apenas 1 ano.

  • JOCIÉLI

    Boa noite Leandro,
    Estou fazendo meu trabalho de conclusão de curso, achei bem interessante esse teu post, gostaria de citar um trecho no meu trabalho, você pode me informar o ano que foi publicado?
    Obrigada!

    • Rafael Avila

      Oi Jociéli, a data de publicação desse post foi 23 set, 2013

  • Hello Amanda

    ja tenho empresa aberta , como calcula a viabilidade desta empresa e qual tempo começarei ter retorno de investimento?

    • Rafael Avila

      Oi Amanda. Para calcular a viabilidade basta você seguir o mesmo passo a passo descrito aqui. De maneira geral você precisará analisar o quanto investiu na sua empresa, o quanto tem de despesas e de receitas mês a mês e fazer uma projeção disso. Se a perspectiva for de melhora, basta fazer uma projeção com crescimento.

      Com uma projeção feita (indico algo em torno de 24 a 36 meses), você pode calcular o VPL (valor presente líquido, TIR (taxa interna de retorno) e Payback (tempo de retorno) para saber se o seu negócio é viável ou não.

      Agora, como a sua empresa já está aberta, talvez fechar as portas se as perspectivas não forem boas pode não ser a melhor opção. Mas pode ser um indicador de que mudanças são necessárias se você quiser se manter no mercado.

      Nossa planilha pode te ajudar a fazer esses cálculos automaticamente, dá uma olhada nela depois – https://luz.vc/planilhas-empresariais/planilha-de-estudo-de-viabilidade-economica

Buscar no Blog LUZ

Digite abaixo…

×
Receba a sua dose semanal de conhecimento grátis
×
[optin_monster_id]
[optin_monster_id]
[email]
[email]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]
[opt_in]