Como não perder todas as suas economias em um investimento ruim

0
84
como não perder suas economias - gráficos

Nesse artigo falaremos sobre:

Para que serve um estudo de viabilidade

Conheço muitos clientes que acham que o estudo de viabilidade econômica serve para te dar 3 indicadores principais (VPL, TIR e Payback) e, que se eles estiverem positivos, vale a pena investir.

Eu gosto de pensar no estudo de viabilidade econômica de uma forma um pouco diferente. Mais do que ter a resposta de quanto eu vou ganhar ou se um indicador de valor presente líquido é positivo, gosto de fazer análises mais aprofundadas para ter a real noção de todo o processo. E foi olhando dessa forma para o caso de um cliente da LUZ que fizemos ele não perder todas as suas economias em um investimento ruim.

A história de um cliente da LUZ que queria empreender

O Paulo (esse é um nome fictício para preservar a identidade dele) já estava aposentado e ao longo de sua vida tinha economizado bons R$300.000 reais. Ele e sua esposa conseguiam viver bem do dinheiro da aposentadoria, mas estavam dispostos a abrir um novo negócio e até o momento a melhor ideia e vontade que existia na cabeça deles era de uma cafeteria.

Nas buscas por locais, encontraram uma cafeteria que estava passando o ponto em Ipanema (aqui no Rio de Janeiro mesmo). O espaço era um pouco menor do que eles desejavam, mas para compensar, a localização era perfeita e, por já ser uma cafeteria, eles teriam muito menos gastos do que alugar um espaço do zero. Estavam com um bom pressentimento e nos cálculos inicias, parecia ser um negócio que valia bastante a pena investir. A dona do lugar estava pedindo R$200.000 aproximadamente e, em uma primeira visão, não tinha erro. Ainda sobrariam R$100.000 para o resto dos gastos. Não parecia que esse seria um investimento ruim.

Estudo de viabilidade - Cafeteria

Mas que bom que o Paulo não é tão ingênuo a ponto de entrar de cabeça em um negócio com todas as suas economias antes de fazer um estudo de viabilidade econômica bem feito. Você vai ver que essa foi a diferença entre perder todas as suas economias em um investimento ruim e continuar procurando uma boa oportunidade.

Os primeiros passos do estudo de viabilidade

Quando falamos de estudo de viabilidade econômica, existem algumas premissas e respostas que precisam ser encontradas. Normalmente não vai fugir muito disso aqui:

  • Investimentos iniciais (antes do negócio abrir)
  • Investimentos pontuais (durante a operação)
  • Projeção de receitas
  • Projeção de custos fixos
  • Projeção de custos diretos
  • Principais indicadores de viabilidade (VPL, TIR e Payback)

Tendo isso em mente, vamos ver como chegamos a esses resultados

3.1 – Investimentos iniciais

Aqui a gente tem os gastos que vão ocorrer antes mesmo do negócio abrir. Isso costuma envolver os gastos com o novo espaço de trabalho (reforma, aluguel, compra do espaço), contabilidade para abertura do negócio, identidade visual, novas máquinas ou equipamentos, utensílios básicos, etc. No nosso caso, o Paulo listou os seguintes investimentos iniciais mais relevantes:

  • Compra do ponto – R$200.000
  • Reformas – R$40.000
  • Identidade visual – R$10.000
  • Uniformes, prataria e utensílios de cozinha – R$10.000

como não perder suas economias - investimentos iniciais

Isso gera um total de custos de R$260.000 antes mesmo de começar a operação do negócio, mas ainda existem R$40.000 para esse processo, o que pode indicar que talvez valha a pena

3.2 – Investimento pontuais

Um outro tipo de gasto que costuma ser esquecido é o de investimentos pontuais ao longo do projeto. Principalmente para análise de projetos grandes onde um item pode depreciar ao longo do tempo de estudo. No nosso caso, o período de 3 anos é relativamente pequeno e o único investimento extra está programado para acontecer por volta do meio do primeiro ano na compra de novas máquinas para fazer café:

  • Compra de novas máquinas – R$10.000

como não perder suas economias - investimentos parciais

3.3 – Projeção de custos fixos

Continuando com a análise de onde pode ocorrer gastos, vamos chegar. Como a dona do local estava disposta a vender, pode ser mais fácil conseguir algumas informações. No caso do Paulo, ela passou as seguintes informações:

  • Salário de funcionários – R$10.000
  • Aluguel – R$7.000
  • Propaganda – R$3.000

São um total de R$20.000 por mês, fora o pro labore e outros custos que podem ocorrer. Além disso existe a possibilidade grande da vendedora ter omitido algum dado importante. Por isso, fazer uma investigação aprofundada foi o melhor caminho. Assim, ainda apareceram os seguintes custos:

  • Pro labore – R$5.000
  • Outros custos – R$2.000

Passando para um total de R$27.000 por mês. Qualquer valor abaixo ou muito perto disso pode ser um indicador de que esse pode não ser o melhor negócio do mundo para investir.

como não perder suas economias - custos fixos

3.4 – Projeção de receitas e custos diretos

Essa é provavelmente a parte mais importante do projeto e onde muita gente erra. A projeção de receitas está longe de ser um cálculo trivial e quanto mais informação você tiver, mais ajuda e assertividade terá, mas ainda assim, nada garante que aquele resultado vai se concretizar.

No nosso caso, utilizamos 3 táticas de projeção de vendas:

  • Informações da vendedora: Ela dizia que conseguia vender R$1.500 por dia em média. Isso daria mais ou menos R$33.000 por mês, considerando 22 dias úteis.
  • Informações coletadas in loco: Durante alguns dias da semana, o Paulo foi até a cafeteria e ficou o dia inteiro anotando o que cada cliente pedia e fez um cálculo do valor vendido. Ele chegou a mais ou menos R$1.100 por dia. Que daria aproximadamente R$24.000 no final do mês
  • Informações de outras cafeterias similares: Esses dados não são tão simples de se obter, até porque dependendo do lugar, qualidade do serviço e quantidade de pessoas que passam pelo local, pode existir uma grande diferença de valores. Por sorte, o Paulo conhecia um dono de cafeteria / livraria que informou um valor aproximado de R$30.000 só com a área da cafeteria.

Para o tipo de negócio do Paulo, esses foram os caminhos mais interessantes, mas cada caso é um caso. Em alguns momentos você pode olhar balanços patrimoniais publicados, dados mais abrangentes de setores e estudos realizados ou variações dos que citei aqui em cima.

Depois de muito pensar chegamos em um valor inicial projetado de R$25.000 de receitas por mês, com um crescimento de 5% ao mês no primeiro ano, 4% no segundo e 3% no terceiro.

como não perder suas economias - projeção de receitas

3.5 – Indicadores de viabilidade

Fazendo a projeção desses dados na planilha de estudo de viabilidade econômica, tivemos os seguintes indicadores:

  • Valor Presente Líquido (VPL) – R$34.842
  • Taxa Interna de Retorno (TIR) – 15%
  • Payback – 31 meses

como não perder suas economias - indicadores de viabilidade

Independentemente se existem oportunidades de investimento melhores, para um “bom entendedor”, estava claro que valia a pena investir no negócio. VPL e TIR estavam positivos e o retorno do dinheiro completo investido se daria em menos de 3 anos.

Descobrindo como não perder suas economias

Apesar de tudo parecer positivo, existem algumas análises mais aprofundadas que precisavam ser feitas. Nesse caso, não bastava saber que no final dos 3 anos o investimento seria positivo, era necessário entender se o Paulo não teria que se endividar ao longo do processo por faltar capital de giro. Para esse processo eu costumo fazer uma conta de subtração contínua para ver o que acontece:

como não perder suas economias - lucro líquido ano 1

  • Antes de começar o negócio

R$300.000 (saldo inicial)

– R$260.000 (investimentos)

————————————

= R$40.000

– R$40.384 (prejuízo mensal até Maio)

————————————

= – R$384 (nesse momento, já seria necessário pedir empréstimo)

– R$14.085 (prejuízo mensal de Junho até Outubro)

————————————

= – R$14.469

+ 18214 (lucro de Novembro/15 até Abril/16)

————————————

= R$3.745 (Resultado positivo em Abril/2016)

Esse simples cálculo mostra que se o Paulo realizasse todos os investimentos desejados e tivesse os resultados exatamente como planejou, ficaria no vermelho a partir de Maio até Março do ano seguinte, ou seja, 10 meses difíceis. Ainda foram feitos esses mesmos cálculos com cenários otimistas e pessimistas, mas no geral o risco de acontecer algo fora do planejado era grande demais para se aceitar.

Baseado principalmente nesse cálculo e em outras incertezas inerentes ao negócio como um todo ele optou por não realizar o investimento e buscar outras alternativas. Na minha opinião essa foi a melhor decisão que ele poderia tomar. Com isso, evitou despejar por água abaixo todas as economias que ficou a vida inteira juntando.

Para onde ir a partir daqui

A lógica é simples, basta usar a planilha de estudo de viabilidade econômica para qualquer projeto, novo empreendimento ou negócio que você queira começar independentemente se é uma cafeteria, oficina mecânica, consultoria, agência de viagens ou qualquer outra ideia.

Assim você toma decisões baseadas em dados e projeções bem feitas. Para o Paulo aquele foi um aviso dos riscos que ele não estava disposto a correr, que transformaria seu sonho em um investimento ruim. Para o seu caso poderia ser um aviso de que valia a pena entrar de cabeça no negócio. Cada caso é um caso e vale a pena entender todas as informações que envolvem o projeto.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO que é holerite e qual a sua importância?
Próximo artigoComo usar Análise SWOT quando for expandir sua empresa
Rafael Ávila

Administrador e turismólogo, apaixonado pelas possibilidades que o Excel dá para gestores, empreendedores e estudantes. É sócio diretor da área de planilhas na LUZ – Planilhas Empresariais (luz.vc) e é o responsável pelo desenvolvimento das mais de 150 planilhas com foco empresarial e pessoal comercializadas em seu site. Também ministra os cursos online de Excel (cursos.luz.vc) e gosta de ajudar milhares de planilheiros por meio do Fórum e Blog da LUZ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome