10 competências do consultor mais valorizadas por clientes

0
417
competencias do consultor
LUZ Prime

As competências do consultor são peças fundamentais para entregar resultados cada vez melhores. Portanto, vale a pena dar uma atenção especial a esse assunto.

Todo bom consultor precisa dominar certos conhecimentos, ter habilidades e adotar atitudes que permitam desenvolver projetos excelentes que deixem os clientes maravilhados.

Mas quais competências são essas? O que fazer para adquirir aquelas que ainda não tenho?

Essas dúvidas são bem comuns.

Por isso, resolvi preparar este artigo para falar sobre as competências do consultor que os clientes mais valorizam e apontar o caminho para desenvolvê-las. 

LUZ Prime

Bora lá?

Competência: conhecimento, habilidades e atitudes

O chamado “tripé das competências”, também conhecimento pelo acrônimo CHA, é formado por:

  • conhecimento: o saber;
  • habilidades: o saber fazer;
  • e atitudes: o querer fazer.

Ele ajuda a gente a entender o conceito de competência e a importância desses elementos na vida do consultor.

Conhecimento, habilidades e atitudes não funcionam de forma isolada. Precisam ser aplicados em conjunto, pois um depende do outro.

Ter muito conhecimento não gera resultado se você não souber colocar o que sabe em prática. Da mesma forma, as habilidades podem não ser benéficas para o seu trabalho se você não tiver a atitude adequada.

Portanto, vamos manter o CHA em mente enquanto estivermos falando sobre cada uma das competências da lista a seguir.

Conheça as 10 competências do consultor mais valorizadas por clientes

Se você está começando sua carreira de consultor, saiba que é importante desenvolver as principais competências antes de começar a atuar.

Quem está no mercado há muito tempo, talvez já tenha desenvolvido muitas das que estão nesta lista. Mas, caso não tenha, nunca é tarde para correr atrás!

Confira quais são elas:

1. Expertise na área de atuação

Não dá para ser consultor comercial sem ter conhecimento na área comercial, concorda? Ou ser consultor financeiro sem saber o suficiente para ajudar os clientes a resolverem seus problemas financeiros.

Um bom consultor deve ter expertise na área em que atua e ser especialista em seu nicho. Precisa ter tido experiências, estudado e batido em muitas portas para adquirir o conhecimento necessário.

Se você ainda não tem experiência na sua área, pode desenvolvê-la através de projetos pro-bono. Um grande atalho para adquirir experiência é utilizando as ferramentas do Prime.

2. Gestão empresarial e de pessoas

Mesmo que você não seja um administrador, entender de gestão empresarial é essencial para o seu trabalho de consultor. Isso porque em 99% dos casos você estará atuando dentro de uma empresa.

Sendo assim, caso não tenha se formado na área, faça um MBA, um curso de extensão ou até um curso gratuito para desenvolver essa competência.

No Prime, nós auxiliamos consultores a desenvolverem seus projetos do zero e contamos com uma grande rede de consultores. Dessa forma, você pode trocar experiências e melhores práticas e acelerar seu desenvolvimento.

E o mesmo vale para a gestão de pessoas. Afinal, o consultor está o tempo inteiro lidando com gente.

Estamos falando de conhecimentos que te ajudam a interpretar o clima da empresa, entender o cliente, descobrir com quem pode contar para implementar o projeto e por aí vai.

3. Lifelong learning

10 competências do consultor mais valorizadas por clientes 1

A busca por novos aprendizados deve ser para a vida toda. Não é porque você acha que faz alguma coisa bem que precisa deixar de se aprimorar.

Isso também te ajuda a se desenvolver, se adaptar aos novos cenários e evoluir com o mundo. Afinal, parar de aprender é se autoconvidar a sair do mercado.

4. Visão a curto, médio e longo prazo

A princípio, todo trabalho de consultoria é feito pensando na prosperidade da empresa a longo prazo.

Porém, você não pode deixar o curto e médio prazo de lado. Do contrário, o cliente pode ter a percepção de que o seu trabalho não está gerando resultado.

Para evitar esse tipo de problema, estude a empresa e tente entender como ela se enxerga, onde deseja estar nos próximos 3 meses ou em 2 anos.

5. Raciocínio lógico, crítico e criativo

Não assuma tudo o que você ouve como uma verdade. Seja capaz de buscar a lógica das coisas, questionar e entender se as coisas fazem sentido ou não.

É a partir do pensamento crítico que a criatividade surge a favor do que realmente importa.

6. Boa tomada de decisão

Tomar decisões assertivas e, ao mesmo tempo, conscientes é uma das competências do consultor capazes de influenciar diretamente a visão que o cliente tem do seu trabalho.

E não só em questões relacionadas aos projetos.

Pode ser, por exemplo, que você se dê conta de que não é o consultor ideal para um novo cliente por não ser especialista no que ele precisa.

Se isso acontecer, a boa decisão é não pegar o projeto e mostrar isso pra ele para não manchar sua imagem.

7. Trabalho em equipe

Embora se dar bem com as pessoas seja fundamental no trabalho em equipe, o consultor precisa ampliar essa competência.

Na hora de implementar um projeto numa empresa, você precisa lidar com o gestor e com diversos colaboradores.

Por isso, também precisa ser capaz de entender quem vai te ajudar nessa missão para aumentar sua capacidade de atuação.

O consultor precisa ao mesmo tempo gerenciar e se relacionar com todas as partes interessadas em um projeto.

8. Pensamento estratégico

O bom consultor não pode ter uma visão apenas em relação à área em que atua. Você precisa enxergar a empresa do cliente de forma ampla.

Assim, fica mais fácil descobrir a origem dos problemas, além de entender como as áreas e as pessoas se articulam na empresa.

E aí, você passa a ter mais capacidade de direcionar os seus esforços para o lugar certo.

9. Alinhamento com seus valores

Um profissional que prega uma coisa e faz outra nunca será visto com bons olhos pelo mercado.

Portanto, seja honesto e transparente nas suas relações e ao desenvolver seus projetos. Abrir mão do que você acredita só para agradar um cliente pode ser um tiro no pé.

10. Flexibilidade, desenvoltura e confiança

Todos nós precisamos ser flexíveis para fazer concessões quando for necessário e aceitar outras ideias.

No entanto, a flexibilidade não pode ser usada de forma negativa.

Saiba mostrar aos clientes que investir no seu trabalho vale a pena, que o que você oferece não é balela.

E seja firme para bancar suas ideias e não perder uma queda de braço em torno de algo crítico para gerar bons resultados.

Como desenvolver essas competências do consultor?

Uma dificuldade comum entre os consultores é entender, antes de tudo, se eles possuem essas competências ou não.

Para falar disso e de como desenvolvê-las, a gente volta ao CHA.

Quando pensamos nas competências ligadas ao conhecimento, percebemos que o aprendizado deve ser constante, faz parte da profissão.

Para adquiri-las, o caminho é ler muitos livros, estudar e trocar figurinhas com outros profissionais, não tem outro jeito.

Já as habilidades exigem uma certa reflexão individual. Faça o exercício de avaliar o quão fácil ou difícil é colocar algumas competências em prática.

Quanto mais complexas, maior é o esforço. Você pode buscar cursos ou até dicas de outros profissionais que te ajudem, por exemplo, a tomar decisões ou trabalhar melhor em equipe.

Por fim, as atitudes. É necessária uma boa dose de autoconhecimento e, por que não, pedidos de feedback.

Pare para analisar como você se comportou diante de certas situações, se tem sido honesto com o que acredita. Nesse processo, talvez você perceba que está sendo muito ou pouco flexível com seus clientes.

Ou, ainda, pode ser que algum colega consiga apontar algo que você não era capaz de identificar. 

Assim, os caminhos em busca das competências vão tomando forma. E você estará cada vez mais próximo de ser um excelente consultor!

Nós te esperamos no Prime. Será excelente colocar nossa rede, nossos cursos e nossas ferramentas a disposição da sua evolução como consultor.

LUZ Prime