O que fazer diante da falta de engajamento no projeto?

0
46

Por mais que o consultor seja contratado para ajudar o cliente, a falta de engajamento é um problema recorrente, pois nem sempre os colaboradores estão dispostos a embarcar no projeto.

Apesar de contraditório, essa postura pode vir, inclusive, do dono da empresa ou de quem te contratou – já falei sobre esse assunto no artigo “Como lidar com um cliente que está boicotando o projeto”.

Para o projeto dar certo, você precisa que todas as pessoas envolvidas da empresa estejam engajadas, participando ativamente.

Num cenário ideal, a gente espera que os profissionais que estão ali, participando do dia a dia da empresa, comprem a ideia. Afinal, eles também saem ganhando com o trabalho do consultor.

Mas, quando isso não acontece, o que fazer?

A seguir, eu listei algumas práticas que podem ajudar. Confira!

Busque a origem da falta de engajamento

Se você notar que um dos colaboradores da equipe do cliente não parece muito animado com o projeto ou não está a fim de contribuir, tente desvendar os motivos.

Uma das formas de fazer isso é observando o comportamento dele dentro da empresa.

É uma pessoa que tem um bom desempenho e cumpre suas funções? Participa de outras iniciativas? Parece feliz na empresa? Tem uma boa relação com o chefe e com os colegas?

Perguntas desse tipo dão algumas pistas para você entender o que está rolando com esse profissional.

Pode ser que ele esteja desmotivado apenas com o projeto. Mas também é possível que ele esteja desmotivado no geral.

No primeiro caso, vale tentar entender a visão dele e trazê-lo para o seu lado. Já no segundo caso, a solução, infelizmente, não está ao alcance do consultor.

Entenda quanto o decisor do projeto confia no colaborador

Outro ponto importante é conversar com o responsável pelo projeto sobre as suas percepções, mas sempre com muito cuidado.

Para evitar qualquer tipo de resistência, seja cauteloso na hora de apontar problemas para que ninguém se sinta ofendido ou ameaçado.

Você precisa descobrir qual é o grau de confiança depositado naquele funcionário que não tem se engajado.

Assim, fica mais fácil encontrar a melhor forma de lidar com a situação.

Se o cliente gosta do trabalho desse profissional e sugere que ele é ponta firme, o caminho vai ser um.

Talvez você tenha, por exemplo, que encontrar outros jeitos de mostrar a importância do projeto e que o trabalho de todo mundo é fundamental.

Mas se o cliente passar uma certa insegurança em relação ao trabalho da pessoa, o caminho deve ser outro.

Nesse caso, é provável que a dificuldade não tenha a ver com o projeto em si. O mau desempenho do colaborador pode ser generalizado. E aí, a solução do problema não cabe a você. 

Desenvolva um canal direto com o colaborador

O que fazer diante da falta de engajamento no projeto? - Reunião entre duas partes

É bem possível que a falta de engajamento do colaborador tenha a ver com uma percepção errada sobre o papel da consultoria.

Nem sempre o gestor da equipe consegue explicar o propósito do projeto de forma clara.

E aí, os funcionários podem achar que o consultor está ali só para apontar problemas, comprometendo o trabalho que estava sendo feito.

Diante disso, a melhor coisa é você criar um canal direto com o colaborador.

Ele precisa enxergar que o projeto de consultoria foi desenvolvido – e precisa da ajuda dele para ser aplicado – para fazer a empresa evoluir.

E, como parte dessa evolução, tem o objetivo de resolver problemas que fazem ele se sentir desmotivado.

Além disso, mostre-se disponível para tirar dúvidas em outros momentos e deixar claro os motivos pelos quais cada etapa do projeto é importante.

Tenha consciência sobre o seu poder de mudar a situação

Vamos supor que você tenha colocado todas essas dicas em prática e dado todos os conselhos possíveis para o cliente.

No entanto, o colaborador continua tendo um desempenho ruim.

Enquanto um consultor que está prestando serviço para empresa, você não tem o poder de decisão sobre o que acontece por lá.

Sendo assim, mesmo que você ache que não há solução e que o funcionário deve ser demitido, essa decisão não é sua.

Lembre-se disso para não ficar frustrado.

O consultor deve fazer aquilo que está ao alcance dele para fazer o projeto ter sucesso. Porém nem tudo está sob o nosso controle.

Então, qual seria o caminho para lidar com a falta de engajamento de um colaborador?

A conversa com o cliente é sempre a melhor estratégia. Afinal, como eu acabei de lembrar, você não tem nenhum poder de decisão dentro da empresa.

O que você pode fazer é deixar claro para o responsável pelo projeto os prejuízos que um funcionário pouco comprometido pode gerar.

Dessa forma, o cliente consegue entender que alguma atitude deve ser tomada, que não dá para deixar as coisas do jeito que estão.

Uma saída, por exemplo, é o profissional não participar do projeto. Em vez disso, ele se dedica a outras atividades da empresa.

Mas, se isso não for possível, faz sentido sugerir que ele seja demitido? 

Esse é um ponto delicado. Você deve analisar muito bem a situação antes de dar conselhos mais radicais para o seu cliente.

Já imaginou falar que ele deveria demitir tal pessoa e depois descobrir que se trata de um primo, cunhado, irmão ou amigo dele? Pode pegar muito mal, já que o ambiente familiar faz parte da realidade de muitas empresas no Brasil.

Ainda que você tenha que tomar vários cuidados, dependendo da situação, não dá para fingir que nada está acontecendo.

Isso porque se trata do seu trabalho também. E, para atingir o resultado esperado, você precisa da colaboração efetiva dos profissionais envolvidos.

Não dá para negar que esse tipo de situação é complicada.

Porém, no final das contas, é tudo uma questão de saber como lidar com ela para não tomar nenhuma atitude descabida.

Se quiser se preparar melhor para essas e outras, leia o artigo sobre qual deve ser a postura do consultor perante o cliente!

Prime LUZ
Prime LUZ
Prime LUZ
Prime LUZ