Curva ABC Estoque: O que é e para que serve?

0
2250

O que é: a curva ABC de estoque é um método muito utilizado na gestão de estoque para classificar e agrupar os diferentes itens de acordo com a sua importância para o desempenho do negócio. Ao utilizar a curva ABC, você vai criar uma curva de distribuição forçada dos seus itens seguindo de maneira geral a seguinte regra:

  • Categoria A: 20% dos produtos com maior valor agregado
  • Categoria B: 30% dos produtos com maior valor agregado abaixo do A
  • Categoria C: 50% dos produtos, o restante

O calculo do valor agregado de cada produto, assim como as porcentagens específicas do corte entre A/B/C, pode ser feito de diversos métodos e vai variar de empresa para empresa. A curva ABC pode ser usada tanto para matéria-prima quanto para produtos acabados. De maneira geral, usam-se algumas fórmulas de classificação:

a) Em produtos já acabados: pode-se utilizar critérios como preço de produção/compra do produto, valor final de venda, margem de contribuição ou até mesmo a lucratividade média dele mensal de acordo com o histórico de vendas. Esse último seria o preferível, pois permite uma melhor comparação entre itens com giros diferentes.

b) Para matérias-prima: neste caso, os critérios podem ser custo de aquisição, giro do estoque, fatores de risco como fragilidade, vencimento ou armazenamento. Além desses, pode-se também utilizar o valor total de estoque por tipo de produto.

Benefícios da Curva ABC

Normalmente são empresas com alto volume de estoque que aplicam a curva ABC, pois com ela você consegue:

  1. Focar esforços na gestão do estoque
  2. Garantir que os principais produtos estarão sempre em dia
  3. Diminuir custos com compras desnecessárias
  4. Armazenar e investir de acordo com a importância do item
  5. Diminuir faltas no estoque
  6. Proteger melhor seu patrimônio

Um exemplo clássico de aplicação da curva ABC é você pensar em uma loja de celulares, mas que também vendem capinhas e acessórios. É muito mais importante você guardar bem e garantir o perfeito estado do estoque de aparelhos celulares que tem um ticket médios e lucratividades maiores, do que se preocupar com o estoque de capinhas que são uma venda interessante, mas não crucial.

 

Caso Prático de Aplicação da Curva ABC

Vamos fazer um caso fictício aqui de uma empresa que possui 20 produtos já acabados e que ela possui os dados de valor de venda, margem de contribuição e também potencial mensal de vendas, conforme imagem abaixo:

Supondo que você queira utilizar o critério de valor de venda para fazer a sua curva ABC, ficaria bem fácil ver na planilha que os produtos 17, 18, 19 e 20 seriam o A, pois correspondem a 20% do seu portfolio (4 produtos de um total de 20 = 20%). Já os produtos do 16 ao 10 seriam os produtos B e o restante C.

No entanto, a classificação por valor de venda é apenas uma aproximação do quanto aquele estoque realmente vale para você. Se quisermos ir um pouco além, podemos adicionar o potencial de vendas daquele produto e verificar a receita bruta esperada.

Fazendo isso, vemos que existe uma pequena mudança em nossa tabela. Vou colocar a imagem re-ordenada abaixo:

Agora vemos que o produto 3, pelo seu alto giro de vendas, na verdade tem um faturamento total muito superior ao produto 19. Portanto, nessa classificação melhorada, temos os produtos 20, 18, 17 e 3 como classificação A.

Por fim, podemos avançar um pouco mais em nossa análise e buscar entender quais produtos trazem mais dinheiro para o nosso bolso, ou seja, tem as melhores margens de contribuição e volume de venda! Esses, sim, são os produtos mais importantes no final do dia. Vamos ver a nova imagem:

Olhando a lucratividade esperada de cada produto, vemos uma total reviravolta em nossa gestão de estoque. Os produtos que pareciam ter importância pelo seu valor ou receita esperada, saem completamente do ranking e temos agora como produtos de classificação A: produto 7, 3, 19 e 6!

Outras Aplicações da Curva ABC

Embora seu uso seja muito comum na área de estoque, esse é um método de priorização que pode ser aplicado em diferentes desafios de um negócio. Vou citar abaixo alguns outros exemplos:

  1. Análise de Custos
  2. Otimização de Compras
  3. Avaliação de Desempenho de Funcionários
  4. Classificação de Melhores Clientes
  5. Melhoria de Processos de Negócios

 

Com essas informações bem estruturadas, você vai entender muito melhor o valor do seu estoque e conseguir gerenciá-lo com menos custos, maximizando o lucro final! Se você está tendo dificuldade em aplicar no seu negócio, deixe um comentário que podemos lhe ajudar!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorPrincipais pontos de atenção em um processo de Venda Complexa
Próximo artigoComo Montar um Projeto?
Leandro Borges
Leandro começou a vida profissional prestando consultorias centenas de pequenas empresas em todo o Brasil e foi professor em instituições como SEBRAE, Vale, Souza Cruz, FIRJAN, COPPE e FGV. Hoje, é encantado pelas facilidades que o Excel traz para a gestão empresarial e quer levar essa maravilha para o Brasil e o Mundo!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva o seu comentário
Por favor, digite seu nome